Corinthians quer evitar surpresas

O Corinthians enfrenta o União São João, neste domingo, às 16h, no Pacaembu, absolutamente certo de não será apenas a enorme diferença técnica entre as duas equipes que vai lhe garantir mais uma vitória no Campeonato Paulista. O técnico Wanderley Luxemburgo passou a semana inteira alertando os seus jogadores sobre o risco de uma eventual surpresa, apesar de todas as indicações de que o time deva chegar à sua sexta vitória consecutiva na competição. "Ninguém ganha na véspera", avisou o experiente técnico já na sua palestra de terça-feira, dois dias após a surpreendente goleada sobre o Botafogo, por 5 a 1, em Ribeirão Preto. No embalo da convocação de Marcelinho Carioca, Ricardinho e Éwerthon, Luxemburgo usou a Seleção Brasileira para supermotivar os seus jogadores. Não só os três corintianos convocados por Leão, mas principalmente os que ficaram de fora da lista. "A nossa responsabilidade agora é muito maior, depois das convocações de Marcelinho, Ricardinho e Éwerthon. As cobranças serão ainda maior e o nosso compromisso com um futebol de qualidade diante do União também aumentou na mesma proporção", discursou o treinador. Para evitar um desânimo exagerado nos que ficaram de fora, Luxemburgo também dedicou algumas palavras a eles na palestra de hoje. "Se alguém se abater porque ficou de fora dessa convocação é porque não merece a Seleção Brasileira. Ter ficado de fora da lista é um motivo a mais para que os nossos jogadores esquecidos hoje arrebentem contra o União". Independentemente da motivação extra envolvendo a Seleção Brasileira, Luxemburgo tem opinião formada sobre o União.Segundo o treinador corintiano, o adversário não deve jogar tão defensivamente como a maioria imagina. "Eles ainda tem chances de classificação e devem nos agredir com inteligência". Na prática, Luxemburgo quer dizer: o União deve começar jogando defensivamente, tentando segurar o Corinthians, e provavelmente no segundo tempo vai arriscar um pouco mais ofensivamente. Em função disso, Luxemburgo decidiu começar o jogo com Paulo Nunes e terminar com Gil. "O Paulo é mais experiente, sabe trabalhar melhor a marcação que é feita mais atrás. O Gil depende de mais espaço e deve entrar no segundo tempo". No coletivo de sábado, Luxemburgo ensaiou um esquema mais ofensivo, marcando as saídas de bola do adversário, e outro destinado a bloquear eventuais contra-ataques do União. O treinador corintiano até aceita um certo favoritismo para o seu time mas não quer que isso seja uma verdade definitiva. "Muitas vezes você entra como favorito e sai com uma derrota. Para mim não existe essa história de que o União será o jogo mais fácil para o Corinthians". Problemas para escalar o time praticamente não existem. A não ser o lateral-esquerdo André Luiz, que cumpre suspensão automática e será substituído por Kléber, só Otacílio e Marcelinho deixaram o treinamento de anteontem sentindo dores musculares mas não devem deixar de jogar. Outra novidade é a volta de João Carlos, que cumpriu a suspensão automática em Ribeirão Preto e vai ocupar o lugar de Scheidt. O Corinthians deve jogar com: Maurício, Rogério, João Carlos, Fábio Luciano e Kléber; Otacílio (Marcos Senna), Pereira, Marcelinho e Ricardinho; Éwerthon e Paulo Nunes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.