Corinthians quer ficar mais forte

O elenco que conquistou o Campeonato Paulista, de maneira indiscutível, é bom, mas precisa melhorar para o restante da temporada. O pensamento, no mínimo curioso, é da diretoria do Corinthians, que, após o jogo de quarta-feira, contra o Cruz Azul, começará a correr atrás de reforços. De acordo com os cartolas, o grupo necessita de mais jogadores para suportar o pesado ano que terá pela frente. Além da Taça Libertadores, que ainda está em sua primeira fase, o Corinthians disputará o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana. E, como o clube está em evidência, os dirigentes sabem que poderão receber convites para que o time dispute amistosos ou torneios curtos. "Precisamos de um elenco maior, porque, até o fim do ano, teremos jogos aos domingos e às quartas", comentou o vice-presidente de Futebol, Antônio Roque Citadini. "Não queremos que nenhum jogador tenha de entrar no sacrifício, sem estar na melhor forma." A prioridade é a contratação de um meia e de um atacante. Para o ataque, há mais urgência, porque Lucas, que seria o primeiro reserva ou até mesmo titular no lugar de Leandro, está machucado, tem contrato apenas até o meio do ano e dificilmente ficará no Parque São Jorge. Embora o clube ainda não negocie com nenhum atleta, tem alguns nomes em pauta, como o do jovem Fred, do América-MG, e o de Ricardo Xavier, do Atlético Sorocaba. A possibilidade de Edílson retornar não é totalmente descartada. E o Rio Branco ofereceu o meia Igor, que disputou o Brasileiro pelo Figueirense. O jogador também foi indicado ao Palmeiras. A batalha por reforços espantou Carlos Alberto Parreira, que dirigiu a equipe em 2002. Em conversa com Citadini, o técnico da seleção disse, em tom de brincadeira, que, em sua ocasião, não havia tanta fartura. E observou que o elenco de 2003 é mais forte. Estrelas em ascensão - O meia Jorge Wagner e o atacante Liedson, contratados no início do ano, se valorizaram com a campanha corintiana no Paulista. E isso pode dificultar o trabalho da diretoria na tentativa de mantê-los no Parque São Jorge. O contrato de ambos termina em julho, mas tem prorrogação automática até janeiro. Eles só deixarão o clube no meio do ano se receberem boa proposta do exterior, conforme cláusula contratual. "Existe uma cláusula que me libera no meio do ano caso receba proposta do exterior, mas quero continuar no Corinthians, só vou sair se for algo muito bom", disse Liedson. No domingo, os jogadores comemoraram o título estadual. Vampeta, por exemplo, passou o dia com os amigos, Geninho ficou em Santos com os parentes e Fabinho participou de um churrasco com a família. Hoje, voltaram ao trabalho. A delegação embarcou pela manhã para o México, onde quarta-feira o time enfrenta o Cruz Azul, pela Libertadores. A diretoria vai pagar, pela conquista, R$ 25 mil para cada jogador, mas só depois que receber a premiação de R$ 600 mil da Federação Paulista de Futebol (FPF). A entidade ameaça descontar, desse valor, os R$ 50 mil pela multa aplicada a Vampeta, na semana passada. E não distribuiu ao Corinthians a renda da final contra o São Paulo, alegando que o clube lhe deve dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.