Corinthians quer pôr na cabeça de Lulinha que ele é meia

Comissão técnica espera, com isso, evitar que o jogador volte a perder gols e tenha problemas como no clássico

Fabio Hecico, O Estado de S. Paulo

03 de março de 2008 | 20h36

Diretoria e comissão técnica do Corinthians estão tentando pôr na cabeça de Lulinha que ele não é atacante, como era na base, na qual marcava muitos gols. Diante do Palmeiras, o jogador desperdiçou um grande ataque do time, ainda na primeira etapa, ao chutar para o alto em vez de tocar para o ala André Santos, livre.Veja também: Discussão entre Lulinha e William pode acabar com a harmonia Apesar de derrota, Mano elogia o time do Corinthians Comemoração extravagante é parte do Corinthians x Palmeiras"Ele baixa muito a cabeça", observa uma pessoa da comissão técnica. "Estamos falando com ele, pedindo que procure ser o rei das assistências", observa. "Mais solidário, se transformaria num grande jogador."Promovido ao profissional em 2007 com enorme expectativa de se transformar rapidamente num ídolo, Lulinha não desencantou - precisou de 28 jogos para marcar seu 1º gol. Além de ter participado da campanha do rebaixamento no ano passado. A pressão pode colocá-lo de novo no banco de reservas. Diogo Rincón foi elogiado e, com o retorno de Acosta e Dentinho - cumpriram suspensão no clássico -, alguém da frente vai perder a vaga. Herrera também está ameaçado, já que o time deve seguir no 3-5-2 diante do Guaratinguetá. De acordo com a comissão técnica, "seria bom para Lulinha sair do time". "Ele refletiria no que vem errando e voltaria forte."FELIPE AINDA VETADOO médico Paulo Faria afirmou que o goleiro continua afastado do time. "O Felipe só voltará a jogar se as dores desaparecerem. Só depois de receber o aval do departamento médico ele será liberado para o técnico."O que causou mal-estar foi a atitude do goleiro após ser cortado do clássico. Ele foi ao Morumbi no ônibus do clube, mas logo em seguida foi embora para casa. Com mais uma semana para se recuperar, a tendência é que Felipe retorne ao time contra o líder Guaratinguetá, domingo, no Morumbi.MATADOR VOLTA?Afastado por contusão há quase um mês, o atacante Finazzi ainda se recupera de dores no joelho. O problema é que, ainda que seja liberado pelo departamento médico, Finazzi terá de passar pelas mãos do preparador físico Flávio Trevisan. Por isso, é quase certo que continue fora da equipe por mais uma rodada.Já o volante Bruno Octávio se submeteu a uma ressonância magnética no joelho direito para constatar a gravidade da lesão sofrida no clássico contra o Palmeiras. O resultado deve sair nesta terça, definindo o tempo de recuperação do jogador, que vem sendo titular de Mano Menezes. (com Vitor Marques, do Jornal da Tarde)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.