Corinthians quer reabrir Fazendinha para receber jogos

A diretoria do Corinthians anunciou nesta quinta-feira que está realizando obras no Estádio Alfredo Schuring (Fazendinha) para receber, dentro do período de um ano, jogos de médio porte, sem risco de briga entre torcedores - os clássicos continuariam a ser disputados no Pacaembu ou Morumbi."O Corinthians tinha parado no tempo, mas agora está retornando à modernidade", contou o vice-presidente do clube, Nesi Curi. "Temos de adaptar o estádio para dar conforto ao torcedor. Vamos reforçar a estrutura das arquibancadas e aumentar a capacidade."Segundo Curi, a Fazendinha está com capacidade para 16 mil torcedores, quantidade que deve ser elevada para 20 mil até a conclusão de todas as obras - os vestiários já foram reformados, assim como as cabines de imprensa e a sala de hidromassagem.Nada de novo estádioMuitos projetos sobre a construção de um novo estádio para o Corinthians foram levantados nos últimos anos. No entanto, Curi contou que nenhum deles sairá do papel, mesmo que o magnata russo Boris Berezovski decida assumir o comando do fundo de investimentos MSI e injete dinheiro no clube."Estive várias vezes em Londres para participar das reuniões. Tudo não passa de conversa", explicou o dirigente. "Todos falam, mas sentam na mesa e não fazem as coisas. Aliás, mesmo que eles decidam fazer algo agora, é uma coisa que demorará cerca de dois anos. O Parque São Jorge é mais viável."Clube tem que pagar PassarellaO Corinthians sofreu, nesta semana, mais uma derrota na Fifa. Depois do caso Nilmar, em que o clube terá que pagar oito milhões de euros ao Lyon (França), o clube paulista foi condenado pela entidade na ação movida pelo técnico argentino Daniel Passarella, em 2005, e terá que desembolsar mais dois milhões de reais para o atual treinador do River Plate. A decisão foi em primeira instância e os advogados do Corinthians irão recorrer da sentença.Passarella trabalhou no time de Parque São Jorge por apenas dois meses - de março a maio de 2005 - e foi demitido após uma goleada para o São Paulo por 5 a 1, no Pacaembu, pelo Brasileirão. Como tinha contrato até fevereiro de 2006, o argentino foi convidado para assumir um cargo administrativo no Corinthians, mas não aceitou e resolveu processar o clube.Atualizado às 18h03

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.