Corinthians quer refazer os jogos

A diretoria do Corinthians está animada com a possibilidade de poder refazer dois clássicos perdidos no Campeonato Brasileiro, contra Santos (2 a 4) e São Paulo (2 a 3). São as duas partidas apitadas pelo árbitro Edílson Pereira de Carvalho, envolvido confesso com a Máfia do Apito desmantelada pela Polícia Federal e pelos promotores do Gaeco. O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, pode anunciar no domingo o cancelamento dos 11 jogos que Edílson trabalhou na temporada. Para o Corinthians é uma grande oportunidade de disparar na liderança do torneio. ?O mais correto no meu entendimento é anular e refazer as 11 partidas. Não dá para confiar nas declarações de Edílson Pereira de Carvalho. Quem me garante que ele só roubou nos três ou quatro jogos que confessou na Polícia Federal. Não existe meio ladrão. Tem de repetir tudo e passar essas partidas a limpo?, defende o advogado do Corinthians, João Zanforlin.Além de decidir pelas novas partidas, Zveiter terá ainda de esclarecer algumas condições para os novos jogos, ainda de pouca clareza para o clube alvinegro. Não se sabe no Parque São Jorge, por exemplo, quais atletas teriam condições de atuar. O atacante Nilmar atuou apenas contra o São Paulo, pois ainda não havia sido contratado na data da partida com o Santos. O STJD acena com algumas regras. Jogador que estava suspenso naquelas datas segue suspenso, portanto, impedido de jogar. Reforços inscritos até o dia 23 fazem parte do elenco. Então podem entrar em campo. Não há o que fazer com atletas atualmente machucados, como Jô e Mascherano. Eles ficariam fora e o clube não poderia inscrever ninguém no lugar. Os números dos artilheiros também teriam de ser revistos, assim como os cartões anotados de cada jogador.Vale lembrar que Fluminense e São Paulo também teriam duas partidas para refazer, em que ambos somaram apenas três pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.