Corinthians quer Rivellino como diretor

Roberto Rivellino só não será o homem forte do futebol corintiano se não quiser. O ex-jogador foi o escolhido pela diretoria do clube para ocupar o cargo de diretor-técnico, criado nesta terça-feira. Tudo já foi acertado entre as partes envolvidas. A proposta salarial e de trabalho foi feita também nesta terça, em reunião no Parque São Jorge, da qual participaram o presidente Alberto Dualib, o vice-presidente de futebol Antonio Roque Citadini e o vice-presidente de finanças, Carlos Mello. Rivellino pediu algumas horas para ?ajeitar a vida? antes de assumir a nova função. O ?sim? é aguardado para amanhã.Rivellino, que já há algum tempo era cobiçado para integrar a cúpula diretiva, vai ocupar o novo cargo com a missão de coordenar toda a parte técnica do futebol do Corinthians. Ficará sob sua responsabilidade o planejamento de curto e médio prazos, o cronograma de atividades e a intermediação no relacionamento entre diretoria e comissão técnica.Enquanto a reestruturação do comando é definida, outra questão que tem feito a diretoria corintiana correr de um lado para outro é a definição do treinador. Dualib e Citadini devem seguir para o Rio, no máximo até a tarde desta quarta-feira, para formalizar contatos. Tanto o ex-jogador Júnior como o técnico Oswaldo de Oliveira, que já dirigiu o Corinthians e está atualmente no Flamengo, são os nomes pretendidos.Júnior é o preferido, principalmente por Citadini. Ele pode, inclusive, acertar ainda nesta quarta-feira o seu contrato com o clube, uma vez que já manifestou publicamente seu interesse e orgulho em poder trabalhar no Corinthians.Embora boa parte da torcida e do conselho do clube prefiram Oswaldo de Oliveira, a rejeição dele é grande com Citadini. Já nomes como Casagrande e Neto esbarram na falta de experiência no cargo. Os dirigentes consideram que o momento é delicado e pouco propício para experiências ou testes. Enquanto a conclusão da negociação não sai, o atual auxiliar-técnico, Jairo Leal, vai comandar as atividades do time principal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.