Corinthians quer um meia e volante

Não foram só os torcedores que ficaram frustrados ao final da partida contra o América. A estréia de Tevez foi frustrande para profissionais do futebol como Tite e Paulo Angioni como para o homem dos investimentos, Kia Jooracbhian. Os três se reuniram no domingo e chegaram à óbvia conclusão: só Tevez e Carlos Alberto não basta ao Corinthians. Além do lateral Paulo César que deve ser anunciado oficialmente como novo contratado nesta semana, o limitado time precisa de reforços. "O grupo é pequeno. Não tenho as opções que preciso. Tevez está com dores musculares por causa do esforço contra o América. O Gil se machucou e eu não posso exigir que faça sacrifício porque necessito dele. A hora de esperar pela chegada dos jogadores acabou. Precisamos de resultados, precisamos de atletas. A nossa prioridade é o Brasileiro no segundo semestre. No papel. Mas se continuarmos a jogar mal por falta de opções, acabou planejamento", revela, honesto, Tite no Maranhão. Os mais importantes empresários do futebol brasileiro já estão à caça de um meia e um volante para serem contratados até domingo. Nomes como Gilberto do Hertha Berlim e Roger do Benfica encabeçam a lista. Kia resolveu pressionar a diretoria do River Plate para tentar a liberação imediata de Mascherano. Djalminha foi oferecido, mas Tite recusou. "Nada pessoal contrar o Djalma, mas ele, não. Mais eu não falo sobre contratações", avistou, Tite. O treinador deseja atletas que participem mais da partida. O interesse por Gilberto é antigo. O treinador é apaixonado pelo estilo do atleta - participativo e inteligente com a bola nos pés. "Não existe essa história de só ter de contratar estrelas. Preciso de atletas eficientes. O maior exemplo foi o do Fábio Baiano. Poucas pessoas acreditavam nele. E acabou sendo fundamental para a recuperação corintiana em 2004. Ele foi embora e preciso de outro atleta com as suas características", avisa o técnico. Paulo Angioni tem ligações com Roger desde o tempo em que trabalhou no Fluminense. O dirigente sabe que o atleta quer voltar para o Brasil porque não consegue se relacionar bem com a diretoria do Benfica. O Corinthians já tentou contratá-lo por empréstimo e a resposta dos portugueses é que desejam vendê-lo. Apertado pelo diretor de futebol e pelo treinador, Kia percebeu que terá de colocar a mão no bolso para contratar. E prometeu no domingo à noite na TV Record. "Vamos reforçar a equipe. Percebemos que precisamos deixá-la mais forte", disse no ar. Depois confessou que, ao contrário do que vinha dizendo, é na verdade um dos grandes sócios da MSI. Ele não representa apenas investidores europeus, é o seu dinheiro que está colocando no clube. Isso explica tanta desenvoltura ao negociar. A assessoria da MSI divulgou uma nota que justifica o porquê de haver registrado Tevez como contratado por apenas dois anos. De acordo com a empresa, o visto máximo permitido a atletas estrangeiros é de dois anos. O mesmo acontecerá com o zagueiro Sebastian. Mas, ainda de acordo com a empresa, os dois têm vínculo com a MSI por cinco anos por escrito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.