Corinthians: recepção discreta a Oswaldo

O reencontro de Oswaldo de Oliveira com o Parque São Jorge pouco teve de glamour. Desta vez, a diretoria optou por uma cerimonia de apresentação mais simples, desprezando até mesmo o salão nobre onde foram apresentados recentemente o diretor-técnico Roberto Rivellino e seu ex-treinador, Júnior. Só Oswaldo fez questão de manter a elegância, vestindo um terno de corte italiano cinza, impecável. Junto com ele, foi apresentado o auxiliar-ténico Waldemar de Oliveira, irmão de Oswaldo. Já a vinda do preparador físico Fábio Mahseredijian ainda depende de seu desligamento do Flamengo.Não foi por acaso que a apresentação de Oswaldo foi marcada no período da tarde, às 16h. A diretoria precisava de tempo para demitir o antecessor, Juninho Fonseca, pela manhã. Nesta terça, saíram o auxiliar-técnico Jairo Leal e o preparador-físico Moraci Sant´Anna, que acabou sendo despedido por telefone, em Dublin, na Irlanda, onde está com a Seleção Brasileira."Isso não foi surpresa. Já sabia que a Comissão Técnica poderia ter desfeita", disse Moraci, por telefone, em entrevista à rádio Jovem Pan, na hora do almoço. Moraci imagina que saiu porque criticou a falta de estrutura do clube.No domingo, ele afirmou que o seu trabalho foi prejudicado porque o time estava treinando no Parque Ecológico do Tietê e que os equipamentos usados pelos jogadores estão no Parque São Jorge. Na verdade, Moraci e Jairo Leal foram vítima de um corte na folha de pagamento. Consta que Oswaldo de Oliveira foi contratado por R$ 60 mil de salário, R$ 10 mil a menos do que recebia Moraci e R$ 10 mil a mais do que ganhava Jairo Leal.O acerto com Oswaldo foi extremamente fácil. Tudo foi resolvido por telefone, na noite de segunda-feira. O seu nome saiu de um consenso entre o presidente Alberto Dualib, o vices Andrés Sanches e Roque Citadini e o diretor-técnico Roberto Rivellino. Desempregado desde 12 de outubro, quando saiu do Flamengo, Oswaldo aceitou na hora a proposta do Corinthians. Além da chance de voltar a trabalhar num clube de ponta, Oswaldo sustenta uma relação vencedora no Corinthians e ainda mantém vários amigos no Parque São Jorge."Tenho uma relação sentimental com o Corinthians" disse Oswaldo na sua apresentação. "Foi o clube que me deu a primeira chance como treinador, foi aqui que tive as minhas principais conquistas".Antes de Oswaldo, Mário Sérgio era o favorito da diretoria. Mas o próprio Mário colocou um ponto final nas suas chances, avisando que não aceitaria quebrar o seu contrato com o Atlético-PR. Nos bastidores, soube-se que havia outro empecilho: uma multa de R$ 400 mil, em caso de rescisão contratual.Oswaldo assinou contrato até 31 de dezembro. O treinador chegou sabendo que vai assumir um time fragilizado emocionalmente. Reencontrou alguns jogadores remanescentes de sua primeira passagem pelo Parque São Jorge: Rincón, Gil, Coelho e Marquinhos. Se mostrou feliz especialmente pela volta do capitão que levantou a taça de campeão mundial, conquistada em janeiro de 2000, no Maracanã. "O Rincón sempre foi a minha voz . E vai continuar sendo". Oswaldo também já confirmou que o colombiano será o capitão da equipe, mesmo quando Rogério se recuperar.O seu primeiro contato prático com o time será no treinamento desta quarta cedo, na Vila Olímpica, no Parque Ecológico do Tietê. Além do novo centro de treinamento, Oswaldo sabe que este seu recomeço do Corinthians deve ser bem difícil. Além da situação dramática no Campeonato Paulista, em último lugar no grupo 1, o elenco é muito inferior ao do time várias vezes campeão em 98, 99 e 2000. Por isso mesmo, ele já previniu a diretoria: novas contratações serão necessárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.