Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corinthians reconhece falta de "peças"

O sonho de terminar o Campeonato Brasileiro entre os quatro primeiros está cada vez mais distante. O empate por 0 a 0 diante do Coritiba, em pleno Estádio do Pacaembu, além de comprometer o projeto-Libertadores, provou que Tite tinha razão quando fez o seu primeiro pedido na sua chegada ao Parque São Jorge: a contratação de Washington. Além de um matador, também ficou evidente que o time sente a falta de um meia que organize o jogo. Na ausência do técnico e de todos os jogadores que jogaram no sábado, quem fala sobre os problemas da equipe foi o gerente de Futebol Paulo Angione. "Infelizmente o Corinthians não tem um meia que pense o jogo, principalmente quando atua em casa. O Gil não é esse jogador. Ele é um ótimo atacante mas precisa ser municiado, como acontecia na época em que o Corinthians tinha o Kleber e o Ricardinho".Sem um meia criativo, o desafio, agora, passou a ser bem mais modesto: terminar a competição dignamente, segundo Angione. Numa conversa informal, o dirigente admitiu que o Corinthians precisa de alguém como Roger, do Fluminense, Jadson ou até mesmo Dagoberto, que machucou o joelho, ambos do Atlético-PR. "Aqui no Brasil não vejo outros com essa característica", assinala o dirigente.Angione disse ainda que Washington só não está no Parque São Jorge porque o jogador não pode aceitar a proposta do Corinthians. "O Washington foi o primeiro jogador pedido pelo Tite, quando chegou ao Corinthians. Até cheguei a falar com o atleta. Só que ele tinha uma dívida de gratidão com o clube, que lhe deu todo apoio quando passou por aquele problema cardíaco. Ele disse-me que seria um orgulho jogar pelo Corinthians mas precisava quitar a dívida de reconhecimento com o Atlético-PR".Se Tite permanecer no Parque São Jorge, em 2005, o que é muito provável, o Corinthians fará uma nova tentativa pelo atacante do Atlético-PR. Além dele, Roger, do Flu, é outra contratação prioritária, independentemente da parceria com a MSI, que está em fase final de negociação. Namorado da apresentadora Adriane Galisteu, Roger estaria interessado em jogar no Corinthians também para ficar mais perto da namorada. Para ter o atacante, porém, o Corinthians precisará se entender com o Benfica, dono dos direitos federativos do jogador.Apesar do futuro promissor, com a expectativa de boas contratações, o momento atual é delicado. Com 54 pontos ganhos, oito atrás do quarto colocado, o São Caetano, com 62, o time tem dois jogos difíceis fora de casa: domingo, contra o Paraná, em Curitiba, e na quarta-feira diante do Criciuma, no estádio do rival.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2004 | 18h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.