Corinthians reintegra Fábio Costa

Uma decisão política, econômica e tática foi a reintegração de Fábio Costa, anunciada hoje pelo Corinthians e por sua parceira, a MSI. Politicamente agrada a ala favorável ao goleiro, encabeçada pelo vice de Futebol, Andres Sanchez, evita ainda prejuízo descenessário ao pagar os R$ 5 milhões referentes à multa rescisória do atleta e, de quebra, põe debaixo das traves um camisa 1 tarimbado, experiente. Tiago, depois de três partidas, não transmitiu a segurança suficiente. O grupo de Andres jamais aceitou o afastamento, imposto pelo ex-técnico da equipe Daniel Passarella. "Ele (Fábio Costa) não se enquadrou ao perfil que eu desejava", justificou o treinador na ocasião - há 15 dias. "É um absurdo", bradaram os favoráveis ao jogador no Parque São Jorge. Uma semana depois, o comandante argentino foi demitido. Hoje, o goleiro foi reintegrado. O procurador do atleta, Gustavo Amorim, ameaçou ir à Justiça caso o Corinthians não definisse logo a situação de seu cliente. Tinha na manga proposta de clubes do País e do exterior, mas, mais forte que tudo isso, contava com a vontade de Fábio Costa de retornar ao elenco. O diretor da MSI, Paulo Angioni, foi o responsável pela negociação. Discordava da análise de que com a queda de Passarella o retorno do goleiro seria inevitável. "Quando o treinador optou pelo afastamento do jogador, a diretoria concordou com a decisão", comentou antes do anúncio oficial. Amanhã pela manhã, Fábio Costa explicará de onde tirará motivação para seguir no clube pelo menos até o fim do ano, quando vence seu contrato. Isso porque sabe que a parceira do clube está atrás de um goleiro na Europa. O iraniano Kia Joorabchian, da MSI, e o presidente corintiano, Alberto Dualib, se encontraram com representantes do goleiro Helton, do União Leiria, e podem ainda se reunir com o goleiro Júlio César, ex-Flamengo e hoje no Chievo Verona. O ambiente no clube será bom, certamente. O jovem Tiago, apesar dos oito gols sofridos em três partidas, afirmou hoje pela manhã que aceitaria sem problemas voltar à reserva. "Tenho muito a evoluir, sei disso. E vou continuar trabalhando, buscando meu espaço", afirmou. No início da semana, o técnico (interino ou efetivo?, ninguém sabe) Márcio Bittencourt elogiou Fábio Costa. "Ele é meu amigo, gosto dele e admiro sua qualidade. Comigo, ele teria espaço, porém, a escolha é da diretoria."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.