Divulgação
Divulgação

Corinthians relata falta de segurança na ida ao Independência

'Despreparo total. Ônibus atingido por latas de cerveja', diz diretoria

Estadão Conteúdo

04 Novembro 2015 | 19h17

O Corinthians relatou nesta quarta-feira uma série de problemas enfrentados por falta de segurança na ida ao Independência para o confronto diante do Atlético-MG, no último domingo. Através de um comunicado oficial, o clube paulista criticou "fatos lamentáveis" que ocorreram no fim de semana e mostrou seu repúdio à violência encontrada em Belo Horizonte.

"Até quando? Infelizmente, fatos lamentáveis ocorreram no último fim de semana em Belo Horizonte antes do jogo diante do Atlético-MG. Tivemos um exemplo de despreparo total no estádio. O ônibus da delegação atingido por latas de cerveja e outros objetos. O pior de tudo foi a forma desrespeitosa e violenta como foram tratados os torcedores", apontou a diretoria.

Na nota publicada em seu site oficial, o Corinthians publicou um vídeo que mostra uma confusão já em andamento. Não é possível determinar o motivo, mas as imagens mostram uma série de torcedores corintianos fugindo de bombas lançadas pela polícia, ao mesmo tempo que pedem para os oficiais pararem com os disparos.

"No vídeo publicado abaixo desse texto, todos podem ver cenas de praça de guerra. Não importou às autoridades se crianças ou mulheres poderiam sair feridas. Fica a nítida impressão que pouco ou quase nada foi feito para evitar um confronto. Esses torcedores, mesmo do outro lado, são os consumidores do espetáculo chamado futebol. Não podem ser tratados como alvos de uma guerra", argumentou o clube paulista.

Na última terça, a torcida organizada Gaviões da Fiel já havia divulgado nota para "expressar seu total descontentamento com o tratamento recebido no último domingo". O comunicado também relatava o despreparo e a violência da polícia, que teria guiado os torcedores corintianos para a mesma entrada dos atleticanos. "Ainda assim, em momento algum houve confronto entre as torcidas", garantiu.

O Corinthians, além de criticar a violência das autoridades, questionou o tratamento dado aos feridos do confronto. "E o pior, pessoas que se viram envolvidas no episódio ficaram desorientadas. Os feridos não tiveram a devida assistência. O desespero desses torcedores, vitimas da desorganização e do despreparo das autoridades responsáveis pelo evento, não podem ser repetidos. Até quando cenas tristes como essa irão continuar?".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.