Corinthians retoma força do lado esquerdo

Os três reforços contratados pelo Corinthians para o segundo turno do Campeonato Brasileiro devem resgatar uma das principais característcas do time: a força de seu setor esquerdo, que já foi considerado o melhor do mundo pelo ex-técnico Carlos Alberto Parreira na época em que Ricardinho ainda era o meia-esquerda.Com a chegada de Robert e de André Luis, que atuarão por aquele lado do campo junto com Kleber e Gil, o time voltará a jogar como em 2001. Além disso, a equipe de hoje terá uma vantagem considerável em relação à época em que Parreira contava com Kleber, Ricardinho e Gil: Geninho terá quatro jogadores habilidosos no setor. O técnico acredita que será mais difícil para os adversários desenvolver uma técnica eficiente para marcá-los. "Na medida em que você cria novas alternativas para a sua equipe, as dificuldades para os adversários aumentam na mesma proporção", observa o treinador corintiano. "Ainda mais quando você conta com os reforços de qualidades, como esses que estão chegando". Melhor do que contar com um setor esquerdo de ótima qualidade é saber que o lado direito também se fortaleceu com a chegada de Jamelli. Desde o seu começo de trabalho no Parque São Jorge, Geninho sempre quis melhorar a produtividade do lado direito. O técnico gosta muito da eficiência de Rogério mas o lateral nunca pôde contar com a ajuda de um meia-direita do mesmo nível. Desde a saída de Marcelinho Carioca, em 2001, nenhum outro meia conseguiu se firmar na equipe. Leandro é o que mais jogou. No entanto, ele se destacou mais pela marcação do que pela capacidade de atacar. Há tempos Geninho buscava alguém para equilibrar o time. Quando apareceu a chance de contratar Jamelli, o técnico não imaginava que o pacote de reforços pudesse ser tão favorável. Em menos de três semanas, a diretoria acabou contratando também André Luis e Robert. Tudo isso - somado à volta de Liedson - muda radicalmente as perspectivas para o Corinthians no Campeonato Brasileiro. Quem imaginou que o time fosse correr o risco de rebaixamento depois da derrota para o Coritiba, em pleno Morumbi, agora já começa a acreditar numa reação alvinegra no segundo turno.

Agencia Estado,

28 de julho de 2003 | 22h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.