Daniel Augusto Jr./ Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./ Ag. Corinthians

Diretor do Corinthians revela valor da proposta recusada por Romero

Matias Romano Ávila diz que atacante paraguaio recusou receber praticamente o que o clube paga de teto salarial aos atletas

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2019 | 18h28

O diretor financeiro do Corinthians, Matias Romano Ávila, detalhou nesta quarta-feira a proposta que o clube fez para tentar renovar com o atacante Romero, no final do ano passado. O dirigente informou os valores propostos, que foram recusados pelo jogador paraguaio.

"O Corinthians fez de tudo para renovar com Romero. O Romero chegou ganhando 20 mil dólares (em 2014), no segundo ano foi para 40, depois 60 e 80 no quarto. Foi oferecido ao Romero 100 mil dólares (em dezembro). Era um pouco abaixo do teto máximo (de R$ 400 mil). Na época o dólar estava R$ 3,74", disse Matias Ávila em entrevista à Rádio Bandeirantes.

"E não foi feito um acordo. Quando estava quase pronto, ele queria sem imposto e a gente não conseguiu chegar a um acordo. Estou abrindo uma negociação que talvez aqui ninguém tenha falado", emendou o dirigente.

As declarações foram feitas no dia seguinte em que Romero publicou uma imagem no Instagram em que ele aparece com uniforme de treino ao lado de Fábio Carille, com um emoji de uma caneta, dando a entender que iria renovar com o Corinthians. A publicação irritou os dirigentes corintianos, que viram ali uma maneira de colocar os torcedores contra o clube.

SÓ BRINCADEIRA

Nesta quarta-feira, o volante Ralf saiu em defesa do paraguaio. "Ele é muito querido aqui. A gente, nos últimos dias, não tem se falado tanto. Sempre perguntamos por que não renovava, por que não chegar a um acordo. Tem o respeito de todos dentro do clube, treina da mesma forma mesmo sem jogar. Não vi o post. Mas acho que foi só uma brincadeira dele, não foi nada demais. Ele é brincalhão, não gosta de polêmica", disse o volante.

Romero tem contrato com o Corinthians até o próximo dia 14. O jogador interessa ao Atlético-MG e também ao Cruzeiro. No entanto, teria de aceitar diminuir seu salário. Os empresários do jogador acreditam que ele possa jogar em um grande centro europeu.

O atacante ainda não entrou em campo neste ano por não ter chegado a um acordo com o Corinthians. O período longe dos gramados prejudicou o atleta, que ficou de fora da lista final de convocados do Paraguai para a Copa América.

"Vai de cada um. Mas é difícil não jogar. Não me vejo no lugar dele, não sei o que passaria na minha cabeça. Deve ser complicado, pela importância dele dentro do grupo. Meio que tira um pedaço de você não poder fazer o que mais ama. Não queria estar passando pelo que ele está passando. Mas isso é coisa dele e do estafe", analisou Ralf.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansRomero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.