Corinthians: Rodrigo e Samir disputam vaga

Um é destro, engraçado, sofrido e não prima pela facilidade de expressão ou beleza física - ou como seus companheiros costumam dizer, "a natureza não ajudou muito na latinha (aparência)" -. O outro é canhoto, tem um ar mais playboy, cara de quem nasceu em boa família, articulado e chama a atenção pelos traços parecidos com o da estrela inglesa David Beckham. Afinal de contas, o que os meias Samir e Rodrigo têm em comum além de defenderem o Corinthians? Simples, tornaram-se a maior dúvida do técnico Juninho Fonseca para a armação da equipe que, do domingo, vai a Santa Bárbara D?Oeste enfrentar o União Barbarense pela terceira rodada do Campeonato Paulista. E as diferenças não se resumem à aparência ou ao jeitão de cada um. Samir e Rodrigo entram na disputa por vaga no meio-campo corintiano com argumentos distintos. A favor do primeiro está o surpreendente desempenho nos treinos e a sempre importante empatia com os torcedores. Contra está o estigma de ser contratado já com a intenção de completar o grupo. Ou seja, nas ponderações de Juninho, ainda no período de férias, o ex-jogador do Vitória não figurava entre os titulares. Rodrigo, por sua vez, chegou mais badalado. Além da reconhecida habilidade em bater na bola (ninguém cruza como ele no grupo), fala e se comporta com a altivez de quem já defendeu outros grandes clubes do futebol brasileiro e teve a oportunidade de jogar e viver em outro país, no caso a Inglaterra. Dois fatores, no entanto, podem se tornar pedras em seu sapato. O primeiro é a contusão no joelho que o impede de jogar a seis meses. O segundo, esse sim mais inusitado, é exatamente o fato de ser bonito. Rodrigo carrega a imagem de símbolo sexual, vaidoso, que invariavelmente provoca ojeriza entre os torcedores, ainda mais os corintianos. Não é à toa que a melhor receita para vê-lo irritado é insinuar a existência de qualquer uma dessas características. Diferenças à parte, a melhor definição para a situação é de Samir. "Não sei se vou ficar no time. Mas se puder confundir a cabeça do Juninho, vou fazer isso", afirmou.

Agencia Estado,

28 de janeiro de 2004 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.