Corinthians se despede de Ricardinho

O Corinthians já começou a se despedir de Ricardinho, que pode mesmo ter feito o seu último jogo com a camisa do clube na derrota por 3 a 1 contra o Santos, sábado passado, na Vila Belmiro. No treino coletivo de hoje cedo, no Parque São Jorge, Carlos Alberto Parreira determinou que o meia apenas ficasse correndo em volta do campo, para não correr o risco de contusão, escalando em seu lugar o garoto Moreno, de 19 anos, e que chegou ao clube há um ano e meio como lateral-esquerdo revelado pelo Juventus. À tarde, outra vez Ricardinho treinou em separado. Depois, Parreira confirmou que ele não participa do amistoso contra o EC Clube Osasco, amanhã, às 15h30, no Estádio Municipal José Liberatti. "A negociação para a saída de Ricardinho pode ser fechada ainda nesta semana e temos que criar uma nova opção para substituí-lo. Renato foi utilizado na função na Copa dos Campeões e é um jogador que já conhecemos. Ainda é cedo para se falar em Moreno, mas acho que ele tem muita qualidade e vem crescendo no momento certo", afirmou o técnico. Ricardinho continua se recusando a falar sobre o seu futuro, transferindo o assunto para o seu tio e procurador Rubens Pozzi e para os dirigentes corintianos. Demonstrando segurança, Moreno disse, na primeira coletiva como titular, que a torcida não vai sentir falta de Ricardinho. "Meu estilo é parecido com o dele e confio no meu futebol", garantiu o jogador que quando era menino ainda trocou o juvenil do São Paulo pelo do Juventus porque o Morumbi fica muito longe de sua casa, em Santana. Canhoto, ele diz que não é de fazer muitos gols, mas foi o artilheiro da Copa Jovem Pan de Futebol de Salão em 2000, jogando pelo Colégio Drumond, com 32 gols. A contratação de reforços continua parada porque o Corinthians não aceita pagar para Dodô e Guilherme o que os atacantes têm para receber, de salários atrasados, respectivamente do Botafogo (RJ) e Atlético (MG). Também não houve nenhuma novidade sobre Wellington Dias, do Brasiliense, e que também interessa ao clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.