Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corinthians se empolga e já fala em título

Alívio. Este foi o sentimento dos jogadores corintianos após o empate por 1 a 1 com o Fortaleza, na noite desta quarta-feira, no Estádio Castelão, garantindo a classificação para as quartas-de-final da Copa do Brasil, quando vai enfrentar o Vitória-BA. Nas três primeiras fases eliminou o Botafogo (PB), Ferroviário (CE) e Fortaleza (CE). O atacante Marcelo Ramos, autor do gol do time paulista, de cabeça, aos 11 minutos do segundo tempo foi um dos mais festejados ao lado do goleiro Fábio Costa. A comemoração começou logo na marcação do gol, quando os corintianos cercaram Marcelo Ramos e fizeram uma coreografia simbolizando "sai azar". Os jogadores terminaram a partida bastante cansados, uma vez que o treinador Oswaldo de Oliveira só mudou no final do jogo, tirando os atacantes Gil e Marcelo Ramos para entradas de Betão e Jó. O zagueiro Valdson era um dos mais cansados. "Sem dúvida nossa postura foi outra daquela apresentada contra o Palmeiras. Nosso anseio foi outro e conseguimos nosso objetivo que é continuar na competição e sermos campeões da Copa do Brasil." O meia Piá reconheceu que perdeu algumas boas chances de marcar. "Mas o importante é que estamos classificados. E isso é muito bom para a situação que estamos vivendo." O volante Fabinho afirmou que o Fortaleza deu bastante trabalho. ?Mas conseguimos superar a vantagem deles jogarem em casa e estamos de parabéns pela classificação." Valdson e Betão tão logo terminou o jogo foram abraçar o goleiro Fábio Costa que saiu bastante festejado pelas defesas que fez. Das 11 finalizações do Fortaleza, Fábio Costa fez pelo menos quatro grandes intervenções. O goleiro comentou o gol do Fortaleza anulado no final pelo árbitro paraibano Antônio da Hora Filho. "Um jogador do Fortaleza subiu nas minhas costas e o árbitro marcou a falta. Acho que ele acertou." Oswaldo de Oliveira comemorou timidamente a classificação. Dedicou a vaga a aplicação dos jogadores. Os torcedores corintianos presentes em pequeno número comemoraram a classificação nas cadeiras do Castelão. Dos 35.956 torcedores pagantes, a torcida corintiana ficou em menos de mil. A renda foi de R$ 306.175,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.