SERGIO NEVES/ ESTADÃO
SERGIO NEVES/ ESTADÃO

Corinthians ganha e se mantém invicto contra o São Paulo na Arena

Com gols de Manoel e Gustagol, time de Carille bate o de Mancini por 2 a 1; arbitragem erra duas vezes

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2019 | 20h56

O Corinthians continua sobrando diante do São Paulo na Arena. Neste domingo, derrotou o rival por 2 a 1, pela sétima rodada do Campeonato Paulista, e ampliou a invencibilidade em Itaquera para dez partidas: agora, são sete vitórias e três empates. O resultado levou o time alvinegro à liderança de seu grupo, com dez pontos, contra nove de Ferroviária e Bragantino, que empataram em seus respectivos duelos do fim de semana.

Já a equipe tricolor segue seu calvário e chegou ao quarto jogo seguido sem ganhar. Vindo de uma eliminação precoce na Libertadores no meio da semana, para o Talleres-ARG, que custou o emprego do técnico André Jardine, o clube foi dirigido pelo coordenador de futebol Vagner Mancini. No Paulistão, poderá perder a segunda posição do Grupo D se o Oeste bater o São Bento nesta segunda, às 17h30. Os dois times somam nove pontos, contra dez do líder Ituano.

Em campo, o clássico deste domingo demorou a fazer jus ao apelido de Majestoso que recebe. Na etapa inicial, o primeiro chute a gol só veio aos 41 minutos, com Pedrinho. E após erro grave da arbitragem, que nao viu a bola sair pela linha de fundo na origem da jogada, quando Clayson cruzou para trás já com ela alguns centímetros além do limite. Na sequência, vieram a finalização que obrigou Tiago Volpi a espalmar para escanteio e a cobrança perfeita de Sornoza na cabeça de Manoel. O zagueiro testou firme no canto, e Volpi ainda tocou nela, mas já dentro do gol: 1 a 0.

"Eu estava com a visão boa. Primeiramente, vi que a bola saiu no escanteio. Depois acho que o Volpi conseguiu tirar o gol. Um detalhe que decidiu o primeiro tempo", reclamou o zagueiro são-paulino Bruno Alves, no intervalo, ao canal Premiere, que fazia a transmissão do jogo.

Ironia do destino, o gol de empate teve roteiro parecido, com polêmica no nascimento do lance e finalização de cabeça. Os corintianos reclamaram de falta de Antony em Danilo Avelar, que foi o último a desviar a bola antes que ela saísse pela linha de fundo. No escanteio batido por Reinaldo, aos 12 minutos da etapa final, Pablo apareceu no primeiro pau e desviou sem chance de defesa para Cássio: 1 a 1.

O herói tricolor viraria vilão pouco depois, ao tentar um passe de calcanhar na altura do meio-campo que foi interceptado e gerou contra-ataque letal armado pelos anfitriões. Fagner entrou pela direita e cruzou. Tiago Volpi saiu muito mal da meta (reclamou de falta de Vagner Love), e a bola bateu em Gustavo para morrer no fundo das redes. Foi o sétimo gol do artilheiro no ano. Aos gritos de "o freguês voltou", os mais de 42 mil corintianos em Itaquera fizeram a festa até o apito final.

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 2 x 1 SÃO PAULO

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Júnior Urso (Richard), Ralf e Sornoza; Pedrinho (Mateus Vital), Gustavo e Clayson (Vagner Love). Técnico: Fabio Carille.

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinícius, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Willian Farias (Nenê), Hudson e Hernanes; Gonzalo Carneiro, Pablo (Diego Souza) e Everton (Antony). Técnico: Vagner Mancini.

GOLS: Manoel, aos 42 do 1º tempo; Pablo, aos 12, e Gustavo aos 27 do 2º.

AMARELOS: Pedrinho e Cássio (Corinthians); Igor Vinícius, Tiago Volpi e Hernanes (São Paulo).

JUIZ: Lucas Canetto Bellote.

LOCAL: Arena Corinthians.

PÚBLICO: 42.203 pagantes.

RENDA: R$ 2.219.753,00.

 
Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.