Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Corinthians começa busca para substituto de Sylvinho; redes apontam Cuca, Jesus e Renato Gaúcho

Duílio Monteiro Alves, presidente do clube alvinegro, diz que clube iniciará rapidamente a procura por novo treinador e tentará fechar nesta semana ainda; especulados estão no mercado, desempregados, mas são caros

Marcos Antomil, especial para o Estadão

03 de fevereiro de 2022 | 05h00

A diretoria do Corinthians optou por desligar o técnico Sylvinho na noite de quarta-feira pós a derrota para o Santos em clássico disputado na Neo Química Arena. A pressão da torcida e o mau desempenho neste início de Paulistão pesaram para que a decisão fosse tomada ainda na terceira partida oficial da temporada. Nesta quinta-feira, a cúpula do clube se reunirá para decidir os próximos passos na procura por um novo treinador. Três nomes foram sugeridos por conselheiros e aparecem como opção: Jorge Jesus, Cuca e Renato Gaúcho. Em comum, todos eles estão desempregados e não são baratos. 

O presidente do clube alvinegro, Duílio Monteiro Alves, comentou a demissão de Sylvinho e disse entender que o Corinthians precisa de uma mudança de rota. "Entendemos que esse é o momento de interromper o trabalho e fazermos uma correção de rota. Agradeço todo empenho do Sylvinho e sua dedicação com o Corinthians", expressou Duílio em breve comunicado.

Desde a última temporada, Sylvinho vinha mantendo uma relação desgastada com a torcida e parte da imprensa especializada no clube. Troca de farpas passaram a ser constantes em entrevistas coletivas. Ele não aceitava alguns poucos questionamentos. Nos minutos finais da partida com o Santos, boa parte da torcida na Neo Química Arena entoou xingamentos direcionados ao treinador. A principal torcida organizada do clube, inclusive, planejava um protesto contra a permanência de Sylvinho para o próximo sábado. No passado, seus filhos também estavam sendo "perseguidos" pelos seguidores do clube.

No mercado

O Corinthians passa a buscar desde já alternativas no mercado para a substituição de Sylvinho. Entende-se que não há espaço para novo erro na temporada. Nesta quinta-feira, como adiantou Duílio Monteiro Alves, a diretoria se reunirá para avaliar os próximos passos e fazer contatos para traçar o perfil do novo treinador.

Recentemente, o nome de Jorge Jesus foi especulado no Parque São Jorge, principalmente após a saída dele do Benfica e a falta de um acerto do treinador português com Flamengo e Atlético-MG. Com jogadores experientes no elenco e a necessidade de encaixar os jovens atletas, o novo técnico precisará saber manejar o grupo para não gerar descontentamentos futuros. Jesus recebia perto de R$ 2 milhões no Flamengo, e melhorou sua condição salarial em Portugal. De acordo com a imprensa do seu país, ele teria oferta de R$ 4 milhões por mês de um clube não revelado. O Corinthians não tem dinheiro para isso.

Cuca também é caro, mas está mais perto da condição do futebol brasileiro. Sua multa  rescisória foi de R$ 2,5 milhões, praticamente o valor de sua comissão técnica. É muito mais dinheiro do que Sylvinho recebia. Ocorre que ele garantiu que não trabalharia neste ano quando deixou o clube de Minas. O Corinthians não se manifestou sobre esses nomes. Renato Gaúcho nunca trabalhou em São Paulo. Não se sabe se aceitaria vir para o Corinthians. Dos três, Renato talvez seja o poderia ser convencido com mais facilidade. É caro, mas deixou o Flamengo em baixa após um trabalho muito ruim com medalhões do elenco. 

Dificilmente um novo treinador assumirá o cargo até o próximo compromisso do Corinthians pelo Campeonato Paulista, que será no domingo contra o Ituano. No entanto, as negociações devem começar o mais brevemente possível, e o time alvinegro poderá ter a seu favor o fato de haver a temporada toda pela frente para o próximo técnico alcançar os objetivos almejados. O Corinthians terá de gastar dinheiro com a rescisão de Sylvinho e com a oferta para um novo profissional. O desejo da torcida parece hoje bem fora das condições financeiras do clube. Como errou com Sylvinho e terá de "corrigir rotas", Duílio deve priorizar treinadores mais experientes, que cheguem para resolver o problema. Felipão e Luxemburgo também estão desempregados. O primeiro tem história no rival Palmeiras, e isso pode ser um problema. O segundo já ocupou o cargo em outras ocasiões. A diretoria não comentou nomes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.