Corinthians sem estrelas na estréia

A histórica relação de amor e ódio entre Corinthians e a sua torcida nunca esteve tão forte em 2005. Ela vale já para esta quarta-feira, às 20h30, na estréia do time no Campeonato Paulista de 2005, contra o Mogi Mirim, no Pacaembu.A milionária MSI conseguiu articular uma festa especial para a apresentação de Tevez, Domingues, Carlos Alberto, Marcelo Mattos e Marinho e ainda sonha em anunciar pelos alto-falantes do estádio a contratação de Vágner Love. Porém, ao mesmo tempo, tapumes de chapa de ferro ordinário foram colocados para impedir os torcedores de acompanhar os treinos em Porto Feliz. O pecado destes corintianos foi reclamar do time, principalmente de Fábio Costa.Seguranças treinados em Israel protegerão as estrelas que serão apresentadas antes da partida e só entrarão em campo no dia 29 no Morumbi contra o América. O contato com os torcedores não deverão acontecer de jeito algum. A filosofia é ídolo deve ser cultuado de longe.No meio desse conflito - entre festa que o dinheiro da MSI proporcionou e o medo da própria torcida -, Tite tem a missão de tentar evitar que o limitado time que enfrentará o Mogi Mirim não estrague a festa organizada pela rica patrocinadora. "Não sou responsável por esse clima de oba-oba. O Corinthians real entrará em campo contra o Mogi. Sem estrelas, sem preparação física para enfrentar o Mogi. Treinei quatro dias o time que veio das férias. O torcedor precisará ter inteligência quando acompanhar essa partida. Precisamos ganhar para começar bem a competição, só que tive cinco dias treinando a equipe. O Mogi, mais de um mês. Isso faz uma diferença enorme. A torcida tem de entender isso", avisa Tite.O Campeonato Paulista pode ser uma armadilha ao treinador. Pelos planos do clube, a competição valeria só para preparar a equipe. A prioridade no primeiro semestre é a Copa do Brasil, competição que leva à Libertadores. Só que Tite é inteligente e sabe que os milhões gastos pela MSI na montagem do time faz com que cada partida ganhe uma importância impensada. Qualquer atitude sua em caso de derrotas será questionada. Para se manter no cargo e desfrutar o prazer de comandar os melhores jogadores que o dinheiro pode comprar para um time brasileiro, o técnico não pode acumular fracassos. Perder logo na estréia seria terrível para a sua imagem.Sem as opções milionárias, Tite irá apelar para uma estratégia que mistura uma postura aventureira com defensivismo. Sem preparo físico, o Corinthians tentará resolver o jogo no primeiro tempo. No segundo, com o time sem força, o recuo buscando garantir a eventual vantagem de gols.A equipe que o técnico tem apta para a partida, o corintiano está enjoado de ver. Fábio Costa, Anderson, Wendell e Betão; Coelho, Edson, Rosinei, Renato (Bruno Octávio) e Vinícius; Jô e Gil. "Tive de pedir ao Bruno Octávio atuar duas vezes. Ele está no time que disputa a Copa São Paulo de juniors. O bom é que todos se conhecem, estão entrosados. Tomara que isso seja suficiente para fazer o Corintians vencer", torce Tite.Destaque - De novidade, Tite pretende deixar o recém-contratado Marcelo Mattos no banco de reservas e fazer sua estréia durante o jogo. "Como empresário sei que as coisas não acontecem no estalar dos dedos. Só posso começar a cobrar resultados dentro de um ano", afirma o presidente da MSI, Kia Joorabchian, buscando tranqüilizar Tite. Só que as coisas não são bem assim no futebol. Nenhum clube no momento atual do Brasil será mais cobrado que o Corinthians. "Isso é verdade. Vamos tentar provar no campo o valor que temos. Nós que já estamos há tempos no clube precisamos ser mais valorizados", deixou escapar de maneira surpreendente o pacato Gil que já sabe que perdeu a sua adorada camisa 10 para Tevez. E bem pior: pode ir parar no banco de reservas com a chegada de Vágner Love.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.