Corinthians sem titular graças ao nome

Como a indefinição em relação a Vágner Love continua, os jovens jogadores do Corinthians finalmente vão percebendo a sua valorização no grupo. Jô e Betão fizeram questão de avisar que ?ninguém vai ser titular? apenas com nome. O recado vale para Love, França e Sebá. "Com o Márcio a gente tem a certeza de que quem está melhor entra em campo. Com ele não pesa o valor pago pelos atletas. Vale é o futebol. Por isso o grupo está com ele. Aqui no Corinthians só nome não pesa", diz Jô. "Se o Vágner Love e o França chegarem terão de provar nos treinos que merecem ser titulares", avisa o atacante.A postura de Betão vale para a recuperação do argentino Sebá, que está treinando normalmente. "Desde o início do ano venho dizendo que acredito na competência dentro do campo. E tem acontecido isso no Corinthians", diz Betão. Até o vivido Marinho entra na ?briga?. "Acho que não está no contrato do Sebá que ele tem de ser o titular. Joga quem está melhor. Sempre foi assim em todos os clube e é esse critério que deve se manter no Corinthians. Até para o bem do ambiente", completa o zagueiro.Márcio Bittencourt não só apóia como incentiva o comportamento dos jovens jogadores. "Eu sou uma pessoa justa. Na hora de escolher quem vai jogar não olho na folha de pagamentos. Nem me interessa. Escolho quem treina melhor e acabou. Os jogadores sabem que podem confiar em mim. Isso explica a nossa campanha no Brasileiro. Essa confiança mútua é que empurra o time", aposta o treinador.E Márcio está cumprindo a palavra. Embora o argentino Sebá esteja recuperado do tratamento intensivo no púbis, que levou cerca de dois meses, ele continua treinando no time reserva.Aliás, a diretoria da MSI viu fracassar o plano de renegociar Sebá com o futebol espanhol. O zagueiro e capitão do Newell?s Old Boys não conseguiu se firmar como titular do Corinthians. Ele confidenciou a amigos que não se adaptou ao futebol brasileiro por causa da maneira com que os atacantes atuam por aqui. Utilizando muito mais a velocidade do que na Argentina.A desculpa de crônicas dores no púbis também foi usada para explicar o fraco futebol. Marinho e Betão sabem que estão seguros e confirmados para o jogo de sábado contra o Paraná, em Maringá.Jô estava inspirado. Assim como Rosinei, disse que não está interessado em atuar na Rússia. A diretoria da MSI ofereceu Bobô e mais US$ 15 milhões por Vágner Love. Os russos pediram Rosinei. O máximo que a diretoria aceita é incluir Jô. "Eu sei que a Rússia também é Europa, só que não sei se vale a pena sair agora do Corinthians e ir para lá. Estou conseguindo brigar pelo meu espaço por aqui. É isso que me interessa. Enquanto a diretoria continua falando, insistindo na história da chegada de um novo atacante, eu estou jogando. Quero é aproveitar a oportunidade que surgiu na minha carreira e ponto final", disse.Jô aproveitou até para indicar a contratação de Vágner Love, e não a de França, para atuar no Corinthians. "Os dois são grandes jogadores só que, para que eu possa jogar, prefiro o Love. O França, apesar de mais velho, costuma atuar longe da área, procurando espaço na frente. Assim como eu faço. O melhor é que venha o Love porque o meu estilo casa melhor com ele."O técnico Márcio definiu que Carlos Alberto irá atuar um pouco mais à frente contra o Paraná. O treinador está decidido a recuperar o futebol do jogador.Para sorte de Carlos Alberto, Roger recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Palmeiras e abriu a possibilidade de ele continuar no time ao lado de quem ameaça a sua posição - Rosinei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.