Corinthians só empata e está eliminado do Paulistão

Torcida em Penápolis critica o técnico Mano Menezes

Vítor Marques - Enviado especial, O Estado de S. Paulo

16 de março de 2014 | 18h25

PENÁPOLIS - "Eliminamos o Corinthians, está bom", comemorou um torcedor no Tenente Carriço, tão logo os alto-falantes do estádio anunciaram a vitória do Ituano sobre o São Paulo, no Morumbi. O jogo em Penápolis já havia terminado empatado (0 a 0) e os jogadores do Corinthians davam entrevistas em tom de lamentação.

O time alvinegro não tem a quem culpar pela vexatória eliminação – a uma rodada do fim da primeira fase do Campeonato Paulista –, a não ser a si mesmo. Insinuar que o São Paulo "entregou" o jogo para o Ituano é coisa de quem não quer enxergar os seus problemas.

O time de Mano Menezes começou o ano cheio de esperança, com a vitória sobre a Portuguesa e o discurso de que tudo havia mudado em relação a 2013. Mas a equipe só piorou com o passar do campeonato.

A eliminação, sacramentada neste domingo, foi construída com derrotas e mais derrotas diante de equipes inexpressivas. Além disso, o time não venceu nenhum clássico neste ano.

O Corinthians sofria muito diante do Penapolense e passou a sofrer ainda mais quando o sistema de som do Tenente Carriço deu a notícia do Morumbi: "Gol de Esquerdinha". De pronto, a torcida do time da casa começou a se divertir gritando: "Eliminado!".

"É, começou cedo lá no Morumbi", comentou um torcedor do Penapolense. Os corintianos, por sua vez, não pararam de pegar no pé de Mano e pedir a volta de Tite. O ex-presidente Andrés Sanchez, que esteve no estádio, viu tudo isso de perto, um dia depois do histórico treino no Itaquerão.

Mano não ficou parado no banco de reservas. Ele tentou orientar a dupla de ataque, formada por Romarinho e Luciano, pedindo para que eles encontrassem espaços entre os zagueiros adversários. Não teve jeito, nem mesmo quando eles mudaram de lado. O problema era outro: a bola não chegava.

Nem mesmo o retorno de Jadson ao meio de campo tornou o Corinthians um time criativo, como havia sido nos outros jogos em que o meia atuou. O Penapolense, que já está classificado, embolou o jogo, marcou muito e não deu espaço.

O time de Narciso não ficou acomodado. Pelo contrário, atacou pelos lados do campo. Fábio Santos, que fez ontem seu primeiro jogo no ano, limitou-se a marcar. Isso, no entanto, não evitou que as bolas aéreas passassem perto de Cássio.

Esperava-se por uma nova postura do Corinthians no segundo tempo, mas Mano só mexeu no time após 15 minutos. Ele colocou Renato Augusto no lugar de Bruno Henrique, e não no de Guilherme, como havia feito no treino coletivo.

Graças à importante mudança tática, com dois meias em campo, o Corinthians aumentou o poder de criação. Renato foi um bom parceiro para Jadson. Além disso, a entrada de Uendel no lugar de Fábio Santos deu mais força ofensiva ao time. Uendel, aliás, sofreu um pênalti, mas o juiz Vinicius Gonçalves Dias não marcou.

O Corinthians, apesar de ter corrido sério risco de sofrer um gol, melhorou na partida, mas pecou nas finalizações, salvo em dois chutes de Renato Augusto de fora da área. A moral da história é que Mano pode ter encontrado uma nova maneira de jogar, mas agora já é tarde.

FICHA TÉCNICA:

PENAPOLENSE 0 X 0 CORINTHIANS

PENAPOLENSE - Samuel; Rodnei (Lucas), Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Liel, Washington (Luiz Gustavo), Guaru (Matheus Indio) e Petros; Alexandro e Neto. Técnico: Narciso.

CORINTHIANS - Cássio; Fágner, Cléber, Gil e Fábio Santos (Uendel); Ralf, Guilherme, Bruno Henrique (Renato Augusto) e Jadson; Luciano e Romarinho. Técnico: Mano Menezes.

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP).

CARTÕES AMARELOS - Guaru, Rodrigo Biro, Neto e Rodnei (Penapolense); Jadson (Corinthians).

CARTÃO VERMELHO - Cléber (Corinthians).

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Tenente Carriço, em Penápolis (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.