Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Corinthians sobra, goleia Red Bull e vai à semifinal do Paulista

Meia Marquinhos Gabriel assiste ao jogo da arquibancada

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

16 de abril de 2016 | 18h19

O Corinthians comprovou o favoritismo e sem grandes dificuldades derrotou o Red Bull por 4 a 0 neste sábado, no Itaquerão, em jogo que serviu para dois jogadores pagarem suas dívidas com a torcida corintiana, casos de Giovanni Augusto e André, e garantir a classificação da equipe para a semifinal do Paulista.

Antes da partida, Tite demonstrava muita preocupação com o adversário, que havia vencido Santos e Palmeiras e empatado com o São Paulo na primeira fase. Mas o Corinthians fez o que os outros grandes deveriam ter feito e soube se impor.

Com o resultado, o time alvinegro encara na semi o pior dos classificados, que deve sair do confronto entre Audax e São Paulo neste domingo e a partida será realizada novamente no estádio corintiano.

Um dos endividados com a torcida era Giovanni Augusto, que ainda não havia marcado na arena com a camisa do Corinthians, mas o torcedor não esquece que foi dele o gol da vitória do Figueirense por 1 a 0 no Brasileiro de 2014, na inauguração da casa alvinegra.

Neste sábado, aos 16 minutos, ele se redimiu e com grande estilo. Após cobrança de escanteio e corte da defesa do Red Bull, a bola sobrou para o meia, que marcou um belo gol de voleio. Foi o terceiro dele pela equipe e o primeiro em casa.

Da arquibancada, Marquinhos Gabriel, que deve passar por exames no domingo e ser anunciado pela equipe na segunda-feira, aplaudiu e festejou o belo gol do companheiro. A alegria de Giovanni deu lugar a preocupação aos 29, quando deixou o gramado por causa de uma torção no tornozelo que preocupa. Tite, ao invés de colocar Romero ou Marlone, surpreendeu e colocou Alan Mineiro. Acertou em cheio.

Mesmo com a má notícia, o Corinthians não diminuiu o ritmo e jogou como quis, principalmente pelo lado direito, onde Fagner deitou e rolou sobre Drausio, zagueiro improvisado na lateral.

Aos 39, Fagner cruzou e a pós bate e rebate na defesa, André desviou e a bola lentamente foi parar dentro do gol. Alívio de um atacante que tem sido bastante criticado pela má atuação nos últimos jogos e o técnico Tite constantemente pedindo paciência com ele que logo os gols voltariam. Seis minutos depois quase o criticado atacante fez outro, mas a zaga cortou em cima da linha.

Mesmo com a vantagem, o Corinthians não tirou o pé no segundo tempo. Aos 11, foi a vez de Alan Mineiro aproveitar para ganhar mais créditos. Após uma sucessão de erros da defesa do Red Bull, a bola sobrou para o atacante bater firme e marcar o terceiro.

Aos 23, Alan ainda viu Lucca chegando com liberdade pela esquerda, tocou e o atacante fechou o placar com mais um belo gol para coroar o time de melhor campanha no estadual e que nos minutos finais só precisou administrar o resultado e saborear a bela vitória.

AÇÃO SOCIAL

O Corinthians não fez bonito só dentro de campo. Cerca de 100 refugiados que vivem em São Paulo passaram a manhã no Parque São Jorge e depois puderam assistir o jogo na arena. Deste grupo, 11 crianças entraram com os atletas no gramado e a torcida exibiu faixas com os nomes dos países dos especiais torcedores.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS - (4-5-1): Cássio; Fagner (Edilson), Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Giovanni Augusto (Alan Mineiro) e Guilherme; Lucca (Romero) e André. Técnico: Tite.

RED BULL - (4-3-3): Saulo; Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman e Drausio; Willian Magrão (Igor Sartori), Nando Carandina,  Maylson (Rafael Costa) e Thiago Galhardo (Edmilson); Roger e Misael. Técnico: Maurício Barbieri.

Gols: Giovanni Augusto, aos 16 e André, aos 39  do 1ºT; Alan Mineiro, aos 11; Lucca, aos 23 do 2ºT.

Cartões amarelos: Lucca, Maylson, Roger, Nando Carandina e Guilherme

Público: 36.957 pagantes.

Renda: R$ 1.948.897,50

Juiz: Luiz Flavio de Oliveira.

Local: Itaquerão, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.