Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Corinthians sofre, mas desencanta no fim e ganha jogo festivo

Equipe que inspirou o nome do Alvinegro dá trabalho e comandados de Tite só deslancham após gol aos 33 minutos do segundo tempo

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2015 | 19h25

Os reservas do Corinthians evitaram que o time deixasse uma impressão muito ruim no Itaquerão, neste sábado. Após uma atuação apática dos titulares, o técnico Tite mexeu bastante no time, deu nova cara e conseguiu vencer o Corinthian-Casuals por 3 a 0 ontem.

Em que pese o fato do Corinthians estar em pré-temporada, o fato é que os 25.847 torcedores presentes no Itaquerão esperavam ver mais, principalmente pela limitação do adversário, que disputa a oitava divisão do Campeonato Inglês.

Senão fosse os reservas entrarem e mudarem o jogo, a coisa poderia ter sido pior. O time teve dezenas de chances de marcar, mas falhou muito na finalização. Tite precisará correr contra o tempo para conseguir fazer a equipe melhorar bastante até o dia 4 de fevereiro, quando o Alvinegro enfrenta o Once Caldas, pela pré-Libertadores.



Antes da bola rolar, os times entraram em campo com uma faixa na cabeça, em homenagem ao ex-jogador Sócrates, morto em 2011. Com o apito inicial do árbitro, o que se viu, como já era de se esperar, foi um jogo de ataque contra defesa. O que pegou muita gente de surpresa foi a organização tática do limitado time inglês e a dificuldade do dono da casa começar a fazer logo o caminhão de gols que todos esperavam.

O técnico Tite, debutante na casa alvinegra, armou o Corinthians no 4-1-4-1, com Guerrero mais à frente, enquanto Emerson e Lodeiro caiam pelas pontas e Elias e Renato Augusto tentavam fazer o time passar pela retranca inglesa. Ainda sem ritmo de jogo, o time alvinegro tocou a bola e se movimentou bastante, mas não com velocidade suficiente para chegar com liberdade.

Assim, restou apostar em chutes de fora da área, sem muito sucesso para irritação do treinador. Na beirada do gramado, ele cansou de gritar e pedir maior movimentação. Na etapa final, o cenário foi o mesmo. Corinthians atacava e não conseguia acertar o gol. Aos 8, Fágner fez bela jogada pela direita e cruzou para Lodeiro, livre, perder uma chance incrível.

Irritado, Tite resolveu mexer no time e mudou o jogo. As mudanças fizeram o Corinthians melhorar da água para o vinho. Jadson, Luciano, Mendoza e Danilo saíram do banco e resolveram fazer a equipe jogar. Aos 33, Luciano tocou para Danilo, que bateu, a bola desviou em Hall e enganou o goleiro Bracken para, finalmente, marcar o gol corintiano. O gol parece ter dado maior tranquilidade ao time.

Aos 44, Mendoza dominou na área e tocou para Luciano bater no canto esquerdo de Bracken e marcar o segundo. Nos minutos finais, ainda deu tempo de mais homenagens. Danilo trocou de camisa com Byatt e atuou cerca de cinco minutos pelo Casuals.

Antes do apito final, ainda deu tempo de Jadson passar para Luciano, aos 50, fechar o placar e garantir a vitória em um jogo que valeu pelos minutos finais e pela boa atuação dos reservas do Corinthians. 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansCorinthian-Casuals

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.