Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Corinthians tem urgência para reforçar setor de ataque

Após saída de Alexandre Pato, Emerson Sheik pode trocar de clube. Diretoria vai ao mercado

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2014 | 05h00

São Paulo - No processo de reformulação do elenco, o Corinthians elegeu como prioridade contratar ao menos um atacante para repor a saída de Alexandre Pato. Um novo jogador deverá chegar até a próxima semana, prevê a diretoria. O problema é que o clube vive uma fase de corte de gastos, o que torna a busca por reforços mais complicada.

“Analisamos isso (novo atacante) internamente”, afirmou o técnico Mano Menezes. “A concorrência é grande, quando você encontra um, alguém já viu e ele já vale R$ 5 milhões, você tem de ser rápido. Com investimento menor, você pode errar mais, mas tem de arriscar.”

Esse discurso de Mano Menezes é uma repetição do que fez Mário Gobbi, que busca jogadores “bons e baratos”. A política atual de contratações praticamente descarta nomes como o de Rafael Sóbis, do Fluminense, e o de Kléber, do Grêmio. O Corinthians nem sequer teria dinheiro para comprá-los, a menos que houvesse uma troca, além do fato de que também não quer mais pagar altos salários a nenhum atleta.

A posição que o clube procura é de segundo atacante, que jogue pelos lados do campo. Mas não está descartada a contratação de dois jogadores de ataque, porque o clube também quer negociar Emerson Sheik, um dos atletas de maior salário do elenco. Além de Sheik, as outras opções de ataque são Guerrero, Romarinho e Paulo Victor, garoto promovido da base em 2013.

Na próxima semana, o volante Bruno Henrique (outro jogador que custou pouco, R$ 1,5 milhão) será apresentado. Jadson já foi ao centro de treinamento e fez alguns exames de rotina, mas ainda não assinou contrato como jogador do Corinthians. Mano disse que vai avaliá-lo na próxima semana e evitou garantir que Jadson estará pronto para enfrentar o Palmeiras no domingo da próxima semana. Para o clássico, o treinador aposta no retorno de Renato Augusto. Em tese, os dois podem jogar juntos porque Mano tem utilizado uma formação com dois meias.

O que chamou atenção no treino de ontem foi a saída de Guerrero do time titular. Emerson entrou no ataque ao lado de Romarinho. Além da volta da dupla de zaga, Gil e Paulo André, a entrada de Sheik é a novidade para enfrentar o Mogi Mirim, amanhã, em Mogi. Zé Paulo e Ramirez foram mantidos no time. Mano disse que só hoje vai definir a escalação para o jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.