Corinthians teme euforia e altitude

Só a altitude e a própria euforia do grupo podem prejudicar o Corinthians nesta quarta-feira, às 21h40, contra o Cruz Azul, na Cidade do México. O adversário, embora tenha sido vice-campeão da Taça Libertadores de 2001, vive uma das piores crises dos últimos anos e ainda jogará desfalcado. Por isso, o time brasileiro aposta as fichas neste confronto para conquistar a classificação para as oitavas-de-final da competição continental.O Corinthians, líder do Grupo 8 com 9 pontos, precisa de apenas um ponto para se garantir na etapa seguinte. E, assim, jogará tranqüilo contra o Fênix, no Pacaembu, e o The Strongest, em La Paz, ainda pela primeira fase. O técnico Geninho poderá, então, ter a opção de poupar alguns jogadores, porque o Campeonato Brasileiro já terá começado - a equipe estréia no fim de semana contra o Atlético-MG.Geninho vem falando, desde segunda-feira, que a conquista do Campeonato Paulista faz parte do passado. Quer pôr fim ao clima de entusiasmo excessivo que tomou conta dos jogadores após a vitória sobre o São Paulo. Vampeta, por exemplo, chegou em cima da hora do vôo para o México, na segunda. Afinal, a Libertadores sempre foi a prioridade do clube, além de contar com a preferência do torcedor.Simulação - Um adversário perigoso, de acordo com o treinador, serão os 2.600 metros de altitude da Cidade do México. Geninho não concorda com as pessoas que dizem que a altitude serve apenas como desculpa. "O Santos e o Grêmio, por exemplo, tiveram dificuldade na altitude." O Santos apenas empatou com o El Nacional, em Quito, e o Grêmio foi derrotado pelo Pumas, no México. A comissão técnica se precaveu e utilizou com os jogadores, nas últimas semanas, o GO2 Altitude, um aparelho de origem russa que simula altitudes elevadas. Espera-se, assim, que os atletas não sintam tanto as adversidades.O rival, na teoria, não representará grande ameaça. Depois de alguns insucessos no Campeonato Mexicano e da goleada sofrida para o Fênix por 6 a 1, pela Libertadores, a diretoria decidiu mandar embora quase todos os jogadores. Não haveria, porém, número suficiente para continuar a disputa da competição e, por isso, acabou recontratando vários dos dispensados. Além dos problemas internos, o time terá desfalques consideráveis, como o goleiro Oscar Pérez, suspenso, e o atacante Zepeda, machucado. "Não podemos nos descuidar, o Cruz Azul precisa da vitória para manter as chances de classificação e deve buscar o ataque", opinou Geninho.O treinador deve manter o time com três atacantes, embora não tenha descartado a possibilidade de utilizar mais um volante, Fabrício, no lugar de Leandro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.