Corinthians teme instinto defensivo

Estratégias e esquemas de jogo à parte, a grande preocupação no Corinthians para o segundo e decisivo jogo contra o Grêmio, domingo, às 16 horas, que decide o campeão da Copa do Brasil, será o instinto defensivo de seus jogadores. Para o técnico Wanderley Luxemburgo, ficou clara a grande lição do empate por 2 a 2 em Porto Alegre. "Ficou provado que não podemos recuar mesmo quando estivermos vencendo", afirmou. Apesar de já ter identificado a causa do empate - que acabou representando um mal resultado diante das circunstâncias, já que o Corinthians vencia por 2 a 0 -, Luxemburgo não se mostrou muito animado com o "antídoto". Para ele, esse comportamento é comum nas pessoas. "É uma coisa que acontece dentro do campo, com os jogadores", disse. "É normal que todo ser humano se retraia num momento como aquele. Não tem muito o que fazer." Entre os atletas, todos reconhecem que a acomodação foi, de fato, a responsável pelo placar. Na análise interna do elenco corintiano, a partir do momento em que o time recuou e deu espaço para os gaúchos, as oportunidade apareceram e a torcida se inflamou, motivando os donos da casa. "Reconhecemos que isso ocorreu, mas acredito que precisamos conversar bastante para que cada um de nós entre consciente de que não podemos repetir a mesma falha", observou o meia Ricardinho. O time - Hoje, Luxemburgo afirmou que ainda não definiu o substituto de André Luís, que não vai jogar por causa de suspensão automática."Está entre o Marcos Senna e o Pereira, mas ainda temos o resto da semana para trabalhar", explicou.

Agencia Estado,

12 de junho de 2001 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.