Corinthians tenta manter indiferença

A confirmação da presença de Robinho no clássico deste domingo na Vila pegou os jogadores do Corinthians de surpresa. Na sexta-feira, todos admitiam o "alívio" por não ter de encarar o craque das pedaladas. No treino de hoje, alguns ainda tentaram manter a indiferença em relação à nova estrela da constelação milionária do Real Madrid, mas não conseguiram. "Todo mundo sabe que o Robinho tem qualidade, mas treinar não é o mesmo que jogar. Mesmo que ele esteja bem fisicamente, dentro de campo a coisa muda, pois atrapalha a velocidade e outros fundamentos", comentou Nery. "Falar e jogar é diferente, e o Robinho não joga faz tempo." O "desprezo" do lateral-esquerdo foi rapidamente abafado pela experiência de Fábio Costa. O goleiro conhece Robinho muito bem, acredita que o tempo em que o atacante esteve parado não será o suficiente para prejudicar sua qualidade. "Não acredito que o Robinho tenha ficado sem fazer nada durante esse tempo em que não jogou. E mesmo se ficou parado, isso não vai afetar o futebol dele. Ele é muito mais técnica do que físico", esclareceu o goleiro Fábio Costa. "Nessa hora, o que manda é a cabeça do jogador; eu sou prova disso, pois fiquei seis meses parado (em 2002) e voltei muito bem." Companheiro de Robinho na campanha vitoriosa do Santos de 2002, o goleiro saiu em defesa do atacante ao comentar a disputa que durou um mês até o desfecho na madrugada de hoje. "Torcedor não age de acordo com o que o jogador representa para o clube. Há mais de um ano a torcida vem com aquele movimento "Fica Robinho", e agora, de uma hora para outra, só porque ele quer que a carreira tome um novo caminho, os torcedores mudam de comportamento? É inexplicável. Acho que os torcedores deveriam aprender a cuidar mais de seus ídolos", disparou Fábio Costa. O Corinthians nunca venceu o Santos com Robinho em campo. No retrospecto, são sete vitórias e um empate - com quatro gols do atacante. No último confronto: 3 a 0, em plena Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista, com direito a show e dois gols de Robinho. "O Robinho é um jogador excelente e a presença dele só aumenta o nível técnico do clássico", disse o técnico Márcio Bittencourt. Fábio Costa complementou: "temos de neutralizar o maior número de bolas possíveis que cheguem até ele. Só assim teremos uma grande possibilidade de anulá-lo. Mas não adianta se preocupar apenas com o Robinho e sim com a equipe do Santos inteira." A entrada de Robinho no clássico de domingo deverá forçar o técnico Márcio Bittencourt a armar o Corinthians com três zagueiros. A ausência do volante Marcelo Mattos, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, abriu essa possibilidade. Marinho deverá permanecer no time e jogar ao lado de Betão, que retorna de suspensão, e o argentino Sebá. Caso Márcio Bittencourt mantenha o Corinthians no 4-4-2, Marinho sai para a entrada de Wendel - que deverá ficar responsável pelo primeiro combate a Robinho. "A vitória será de quem errar menos e tiver os nervos no lugar. O Corinthians está vivendo um momento distinto daquele do Campeonato Paulista. Agora, temos um time mais compacto, coeso e, principalmente, com muita confiança. E pode ter certeza de que se não levarmos gol, ficaremos muito próximo da vitória porque o aproveitamento ofensivo está sendo muito bom", concluiu Fábio Costa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.