Corinthians tenta melhorar ataque para vencer Grêmio

Tite completa nesta quarta-feira, diante do Grêmio, a partir das 21h50, no Pacaembu, a marca de 240 partidas à frente do Corinthians. Ele se iguala a Amilcar Barbuy como o terceiro técnico com o maior número de jogos no comando corintiano - está atrás apenas de Rato e Oswaldo Brandão -, com o desafio de fazer o milionário ataque da equipe voltar a funcionar. Com seis gols em nove rodadas, foi quem, entre os 40 participantes das séries A e B do Campeonato Brasileiro, menos vezes foi às redes.

RAPHAEL RAMOS, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 07h49

A inoperância do ataque corintiano está refletida na tabela de classificação. O Corinthians ocupa a modesta 11ª posição, com 11 pontos. Está mais perto da zona do rebaixamento do que da faixa de classificação à Libertadores. Ciente de que o G4 ficou distante (quarto colocado, o Coritiba tem 17 pontos), Tite traçou como meta a curto prazo alcançar pelo menos o grupo dos oito primeiros colocados e, para isso, o time não pode pensar em outro resultado que não seja a vitória diante do Grêmio.

As críticas ao rendimento do time ganharam as arquibancadas - no clássico com o São Paulo, domingo passado, alguns torcedores ensaiaram vaias - e chegaram ao comando do clube. "É lógico que o sinal de alerta está ligado. Ninguém está satisfeito. Sabemos que o Corinthians pode render muito mais com o elenco que tem. Deveríamos estar na parte de cima da tabela", avaliou o diretor adjunto de futebol, Duílio Monteiro Alves.

Tite, no entanto, vai insistir na formação que empatou por 0 a 0 com o São Paulo. Assim, o ataque será formado novamente por Guerrero, Emerson e Romarinho - Renato Augusto e Pato continuam no banco. A única alteração será a saída do lateral-esquerdo Fábio Santos, suspenso, para a entrada de Igor.

Se o ataque vai mal, a defesa do Corinthians é a menos vazada do Brasileirão com cinco gols sofridos. O que o treinador busca agora é equilíbrio.

Uma das preocupações do treinador é que a equipe jogue pelas beiradas do campo, a fim de abrir espaços no meio da defesa adversária. Como Igor deve atacar pouco - revelado nas categorias de base do clube, o garoto tem 21 anos e disputará o seu oitavo jogo no Corinthians -, a ordem é que Emerson explore o lado esquerdo do ataque. E Danilo, quando tiver espaço, também deve atuar pelo setor. Na direita, Romarinho terá a função de avançar e trocar passes com Edenilson para enfiar a bola a Guerrero, que jogará centralizando.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.