Corinthians tenta pensar no S. Caetano

O Corinthians enfrenta o São Caetano, nesta quarta-feira, às 20h30, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista, mas só se falou do Cianorte no Parque São Jorge nesta terça-feira. Com a situação no Campeonato Paulista praticamente perdida (a 10 pontos do líder São Paulo e a três do Santos, o vice), os jogadores corintianos foram os primeiros a admitir que o time já jogou a toalha na competição estadual."O São Paulo só perde esse títulos se os 11 jogadores forem expulsos", sintetizou o volante Wendell.O próprio Passarella, há duas semanas, vem repetindo que usaria os jogos restantes no Campeonato Paulista como laboratório. O próprio treinador argentino admite que seu maior desafio, no primeiro semestre, é reverter a dramática situação do Corinthians na Copa do Brasil. Para isso, terá de vencer o Cianorte, 6 de abril, no Pacaembu, por uma diferença de quatro gols.Apesar da conotação supostamente pejorativa em relação ao Campeonato Paulista, isso não significa que o Corinthians abrirá mão de uma vitória sobre o São Caetano. Ao contrário. Segundo os próprios jogadores, vencer será importante também para dar moral à equipe, que já acumula duas vitórias nessa fase de laboratório. Ganhou do Santo André, por 3 a 2, no ABC, e do Palmeiras, por 2 a 0, no Morumbi."Chegar ao jogo contra o Cianorte embalado seria ótimo", observa o meia Carlos Alberto. "Por isso, será importante vencer não só o São Caetano, mas o Barbarense, o Guarani e o Ituano".Pela disposição no treinamento tático desta terça-feira, as perspectivas de um bom resultado diante do São Caetano parecem positivas. Por quase duas horas, o time trabalhou detalhes que seu treinador considera fundamentais. Além do posicionamento no jogo aéreo, tanto defensiva quanto no ofensivamente, a ´pegada´ foi a marca registrada no treinamento.Tanto o time titular foi severamente marcado pelo reserva, quanto o reserva pelo titular."Estou gostando da evolução da equipe. Já houve uma melhora do jogo contra o Santo André para o clássico contra o Palmeiras. Espero que a ascensão não pare por aí", resume Passarella.O treinador, no entanto, não tentou não falar muito sobre o jogo contra o Cianorte. Para desviar o foco, chegou até a lembrar uma de suas primeiras conversas com Kia Joorabchian, na época em que negociava a sua vinda para o Corinthians. De acordo com Passarella, o maior objetivo é a conquista do Campeonato Brasileiro."Claro que eu quero ganhar tudo, e acho até que podemos seguir na Copa do Brasil. Mas é importante que o time esteja concentrado no próximo jogo, contra o São Caetano".O time para enfrentar o Azulão, nesta quarta, o time deve ter duas mudanças em relação à equipe que venceu o Palmeiras. Além de entrada de Edson no lugar de Gustavo Nery, expulso no clássico, a dúvida é Fabrício, que se queixou de dores no joelho direito, nesta terça. Por precaução, Passarella escalou o volante no time reserva. E não deu outra: Fabrício saiu de campo antes do final do treinamento. Por isso, as chances maiores são para Wendell.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.