Epitácio Pessoa/Estadão - 13/9/13
Epitácio Pessoa/Estadão - 13/9/13

Corinthians tenta salvar o ano e já projeta 2014

Após quatro jogos sem vitória, sinal de alerta está ligado no clube, que nem cogita ficar fora da Libertadores

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - Com ou sem Tite no comando, o Corinthians tenta ao mesmo tempo salvar a atual temporada e planejar 2014. Esse é o retrato do clube após a derrota para Goiás por 2 a 1. Foi o quarto jogo sem vitória no Campeonato Brasileiro.

Salvar a temporada significa cobrar reação do elenco para buscar uma vaga na Libertadores – o time está a 5 pontos do G-4 e além disso está nas quartas de final da Copa do Brasil.

Enquanto isso a diretoria analisa quais posições e quais jogadores interessam ao Corinthians para o próximo ano. É preciso, na visão do clube, renovar as duas laterais, além de comprar um meia, um segundo volante e um centroavante. Salvo exceções, chegou ao fim o clico do elenco campeão da Libertadores e do Mundo em 2012.

Já Tite vive um impasse. Ele tem contrato com o clube somente até dezembro e, há alguns meses, tinha como objetivo discutir a renovação quando a equipe estivesse no G-4 brigando pela ponta do Brasileiro. Isso não aconteceu e seu empresário e a diretoria não voltaram mais a conversar. No clube, segundo conselheiros e alguns dirigentes, a situação do treinador é desconfortável e é necessária uma vitória amanhã contra a Ponte Preta para a pressão não aumentar.

A diretoria, contudo, diz que não só não pensa em demitir o treinador como ainda acredita que ele continuará em 2014. “Sempre sentamos e discutimos a renovação do contrato dele no final do ano, como foi ano passado. Esse é um momento em que precisamos ter calma, o elenco é bom”, disse o diretor adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves. “O Tite já passou por outros momentos difíceis e permaneceu.”

Um outro dirigente disse ao Estado que o que atormenta o clube é ficar fora da Libertadores de 2014 por dois motivos. O elenco tem uma das folhas salariais mais caras do País, cerca de R$ 6 milhões, para disputar apenas o Paulistão no primeiro semestre. Além disso, haverá a inauguração do Itaquerão e o clube já cogitava disputar lá jogos da Libertadores antes da Copa. “Não vejo a situação tão desesperadora. Estamos em 6.º lugar no Brasileiro e ainda faltam 17 rodadas”, disse Duílio, confiante que o time terminará o Brasileiro no G-4.

Nomes para 2014 já começam a ser analisados. Interessam jogadores como Giuliano, ex-Internacional, que está no Dnipro, na Ucrânia, Alex Sandro, ex-Santos e que atua no Porto, e Elias, agora no Flamengo. O caso do ex-corintiano virou polêmica no clube e gerou críticas à diretoria. Elias teria se oferecido para voltar em janeiro, mas ninguém à época se interessou em repatriá-lo.

“Isso não aconteceu. O Elias é um grande jogador, mas em janeiro nós ainda contávamos com o Paulinho no elenco”, afirmou Duílio. Quando a negociação de Paulinho deslanchou com o Tottenham, da Inglaterra, o clube contratou, às pressas, o meia Ibson.)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.