Corinthians: Tevez volta a sorrir

Tevez, o ?garoto-enxaqueca? do Parque São Jorge, voltou a sorrir. Mergulhado numa depressão que já durava quase um mês e vinha preocupando elenco, comissão técnica e diretoria, o argentino foi visto no treino de hoje dando gargalhadas. Sempre agarrado com o zagueiro Betão, Tevez riu com os colegas de time o tempo todo. Brincou até com o técnico interino Márcio Bittencourt, com quem teria discutido na véspera (Márcio nega). Era tanta alegria que, na saída do clube, Tevez chegou a descer do banco do carona do carro de Betão para dar autógrafos e tirar fotos com torcedores. Deu até um beijo no rosto de dona Valquíria de Jesus, uma das muitas torcedoras-símbolo do clube e que costuma ?bater cartão? no Parque São Jorge. "Ele está muito, muito feliz com a convocação para a Seleção Argentina", disse o amigo Betão, que virou uma espécie de ?porta-voz? de Tevez, já que o argentino se recusa sistematicamente a dar entrevistas alegando "timidez". Além da convocação (para os jogos contra o Equador e o Brasil pelas Eliminatórias), outro motivo para tanta felicidade de Tevez é a visita de sua filha recém-nascida, Florencia, que chegou a São Paulo na última quinta-feira com a mãe Vanessa. O início da depressão de Tevez coincidia com o nascimento da filha. "Tenho muita saudade dela", confessou o atacante, numa de suas raríssimas entrevistas, há duas semanas. Triste, o jogador chegou a consultar seu empresário, Adrian Ruocco, sobre a possibilidade de voltar ao Boca Juniors para ficar mais perto da filha. Como seu contrato com o Corinthians é de cinco anos e há uma multa rescisória altíssima em jogo, não há a menor chance de isso acontecer. Até a saída do técnico Daniel Passarella, seu compatriota, serviu para aborrecer Tevez. E isso sem falar na má fase que o time vivia, com eliminação na Copa do Brasil, derrota em clássico para o São Paulo e cobranças da torcida. Neste domingo, Tevez terá dois jogadores ao seu lado no ataque: Bobô e Gil. No plano tático de Márcio, o argentino deve cair mais pela direita, e também voltar até o meio-de-campo para tentar armar jogadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.