Corinthians: Tiago está nas nuvens

Quando Daniel Passarella chamou Tiago para conversar num canto, o garoto se assustou. ?Deu um friozinho na barriga?, ele confessou, mais tarde. Era sábado, véspera do jogo contra a Portuguesa no Pacaembu. O técnico já havia adiantado que faria testes na equipe, mas não havia comentado nada sobre mexer na posição de goleiro. Todos imaginavam que o titular seria Fábio Costa. Mas o treinador resolveu arriscar. E deu a camisa 1 para o novato.?Foi o dia mais importante da minha carreira?, disse Tiago. ?Foi uma pena a gente não ter saído com a vitória, mas acho que me saí bem?.E como saiu! Em sua estréia como profissional, o jovem goleiro, de 21 anos, fez pelo menos cinco defesas difíceis. Mostrou que é bom de reflexos e nas saídas pelo alto (tem 1,89m de altura). Não teve culpa no gol da Lusa, marcado por Washington. E saiu de campo sob aplausos da torcida e elogios dos companheiros. ?O Tiago foi excelente?, comentou o zagueiro Anderson.Para Tiago, foi como um sonho. ?Eu sempre via o Pacaembu e me imaginava em campo, jogando. Na quarta-feira, contra o Cianorte, ver esse estádio cheio foi lindo, lindo! E agora eu tive a oportunidade de estrear justamente no Pacaembu. Foi muito legal?.Natural de Campo Largo, Paraná, Tiago saiu de casa aos 14 anos, para vir jogar no Corinthians. Ele estava no Matsubara quando chamou a atenção de olheiros de clube. ?Treinei dez dias no Matsubara e logo fui contratado pelo Corinthians?.Passou por todas as equipes de base, sempre como titular. Foi, aliás, campeão da Copa São Paulo de juniores no ano passado, quando integrou-se também ao elenco profissional, ao lado de Fábio Costa e Rubinho.VESTIBULAR - Com a saída de Rubinho, passou a ser o reserva imediato, no início deste ano. Mas nunca havia tido uma chance, até o jogo contra a Portuguesa. ?Se era um vestibular, acho que passei?, brincou. ?Mas eu sempre soube que um dia minha vez iria chegar. Estou só começando, buscando meu espaço. E o futuro a Deus pertence, né??Tiago diz que tem aprendido bastante com Fábio Costa. ?Ele me passa muita experiência, muitas coisas legais?. Mas seu ídolo é outro. ?Acho que todos os goleiros da minha geração têm o Taffarel como grande inspiração. Ele era incrível! Tinha um posicionamento excelente, não precisava ficar pulando para pegar a bola?.Depois da estréia ? acompanhada de perto pela sua família, que veio correndo de Campo Largo ?, Tiago recebeu os parabéns de Passarella. E um conselho, que o jovem diz que nunca vai esquecer. ?Ele falou que o futebol é feito mais por momentos tristes do que alegres, e que se hoje estão todos comigo, amanhã, nos momentos tristes, só os familiares estarão ao meu lado. Por isso, disse que era para eu aproveitar bastante este momento com a minha família?.

Agencia Estado,

12 de abril de 2005 | 09h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.