Corinthians: Tiago sonha em ser titular

Tiago tinha 15 anos e jogava nas equipes de base do Matsubara (PR) quando representantes do Corinthians foram ao clube paranaense para buscar dois meias, Edu e Maninho. O jovem goleiro foi incluído na negociação como contrapeso. Seis anos depois, ninguém sabe mais nada sobre Edu e Maninho. Foram dispensados meses após serem contratados. Mas Tiago acabou ficando no clube. E nesta quarta-feira será o goleiro titular no importante duelo com o Figueirense, em Florianópolis, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. "Foi o destino. Liberaram os outros dois garotos, mas ficaram comigo", diz Tiago. A história é idêntica a de Gilmar dos Santos Neves, um dos maiores goleiros do futebol brasileiro em todos os tempos. Gilmar jogava no Jabaquara, de Santos, quando dirigentes do Corinthians desceram a Serra para contratar o meia Cicá. Acabaram trazendo Gilmar na bagagem como contrapeso. Tempos depois, Cicá foi dispensado e sumiu. Já Gilmar conquistou títulos por Corinthians, Santos e Seleção Brasileira - foi bicampeão mundial em 1958 e 62. Questionado sobre a coincidência, Tiago sorriu constrangido. "Pelo que sei, o Gilmar foi um dos maiores goleiros da história. Se eu fizer metade do que ele fez, já está ótimo! Tomara que eu consiga". Tiago sabe que só será titular porque Fábio Costa foi barrado. Sabe também que a diretoria está atrás de outro goleiro. Mas não se acanha. O garoto sonha alto. "Estou tendo agora a oportunidade e a responsabilidade de ser titular do Corinthians. É uma emoção enorme, nem tenho como descrevê-la. Sei que serei avaliado por esse jogo, mas sei também que tenho condições de seguir como titular". Tiago está ciente também que, desde Ronaldo, o Corinthians não tem um camisa 1 formado nas categorias de base - Rubinho chegou a ter algumas chances, mas nunca se firmou como titular. "A cobrança é muito grande.E o curioso é que o Ronaldo sempre foi ídolo meu e de toda minha família, que é toda corintiana", diz Tiago, natural de Campo Largo (PR). O garoto conta que ficou sabendo da dispensa de Fábio Costa por um amigo, que lhe ligou assim que viu a notícia na internet. "Eu nem acreditei na hora". Aos 21 anos, Tiago só fez um jogo como profissional. Foi contra a Portuguesa, na penúltima rodada do Paulistão, quando Daniel Passarella resolveu poupar os galácticos e testar os jovens do elenco. Tiago foi bem, fez pelo menos cinco defesas difíceis e ganhou a confiança do técnico, da torcida e da diretoria. Por isso, diz que não sente como se estivesse entrando numa fogueira. "Estou supertranqüilo. Venho esperando essa chance há dois anos. Não tenho experiência, mas estou preparado. Sei que conto com a confiança de todos aqui". Tiago, que tem como ídolos na profissão Dida e Taffarel, revelou a conversa que teve hoje com Passarella. "Ele veio me perguntar se eu confiava em mim e eu disse que sim. Perguntou se eu tinha medo e eu disse que não. E assim foi".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.