João Prata/Estadão
João Prata/Estadão

Corinthians treina com presença de 25 mil torcedores e Jair mantém mistério

Léo Santos que se recupera de lesão é dúvida na zaga; na frente, Jair pode mexer para tentar encerrar jejum de gols

João Prata, O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2018 | 18h03

Com atraso de quase uma hora, o Corinthians realizou nesta terça-feira, em Itaquera, a última atividade antes da decisão da Copa do Brasil. O trabalho foi acompanhado por cerca de 25 mil torcedores, número bem abaixo do treino aberto realizado na véspera da semifinal contra o Flamengo. O time alvinegro recebe o Cruzeiro na quarta-feira, às 21h45, e precisa reverter a derrota por 1 a 0 no jogo de ida.

O técnico Jair Ventura manteve o mistério e não deu pistas da escalação que mandará a campo. Na zaga, Léo Santos continua como dúvida por causa de dores na coxa esquerda. Ele participou do aquecimento inicial, mas depois foi poupado do restante da atividade.

Na parte final do treino, Léo Santos se juntou a outros 14 jogadores que treinaram pênaltis. Se ele não jogar, Pedro Henrique formará dupla com Henrique. Estavam presentes também no trabalho de penalidades: Fagner, Danilo Avelar, Henrique, Gabriel, Ralf, Douglas, Pedrinho, Mateus Vital, Jadson, Clayson, Romero, Emerson Sheik e Jonathas.

A assessoria de imprensa do clube informou que os 38 mil ingressos colocados à disposição foram trocados por uma lata de leite em pó. De fato, na segunda-feira, as filas se perdiam de vista nos arredores da Arena. Antes de começar o treino também dava a impressão que o trabalho derradeiro antes da decisão contra o Cruzeiro seria de casa cheia.

Não foi. Havia muitos espaços vazios em todos os setores do estádio e a empolgação não parecia a mesma da véspera da semifinal contra o Flamengo. Os milhares que estiveram presentes tentaram fazer seu papel e cantaram em apoio aos jogadores. 

O treino estava marcado para começar às 15h30, mas os jogadores só foram aparecer às 16h21, precisamente. Todos saudaram a Fiel e iniciaram o aquecimento. Houve o tradicional bobinho, depois um treino tático e na sequência um bobinho em espaço reduzido.

A cada vez que os jogadores corriam para pegar a bola próximo aos torcedores era uma histeria. O elenco ainda treinou finalização de cruzamentos na área. Sem marcação, grupos de cinco jogadores se revezavam para tentar cabecear.

O Corinthians vem de quatro jogos sem vitória e está há quatro partidas sem marcar. O time que deve entrar em campo para a final deve contar com: Cássio; Fagner, Léo Santos (Pedro Henrique), Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Douglas; Pedrinho (Clayson), Jadson, Mateus Vital (Jonathas) e Romero. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.