Corinthians treina para 7 mil em Goiânia

Um litro de leite a 5 reais , um quilo de feijão ou duas latas de óleo a 10 reais. A chegada do Corinthians a Goiânia não está fazendo a alegria só dos corintianos, mas também dos comerciantes da cidade, que neste sábado fizeram a festa na entrada do Estádio Antônio Accioly, para mais de 7 mil pessoas que tiveram de dar um quilo de alimento não perecível para assistir ao treino do time. Antes da abertura dos portões, o que só ocorreu às 9 horas, a fila dobrava o quarteirão do pequeno estádio do Atlético Goianiense.A chegada da delegação do Corinthians foi cinematográfica. Às 10 horas, quatro viaturas da Polícia Militar anunciaram que os galácticos estavam próximos. Veio o ônibus, trazendo logo na cabine, ao lado do motorista, o meia Carlos Alberto, com cabelo nas cores do time. Carlitos Tevez acenou para a torcida, enquanto Fábio Costa, Rosinei e Marcelo Mattos estavam concentrados.Os atletas se aqueceram no campo com uma brincadeira de bobinho, em clima de descontração total. Logo depois, no rachão entre os atletas, no qual Wescley e Nilmar faziam as vezes de goleiro e Fábio Costa se arriscava na linha, sem nenhuma intimidade, a torcida vibrava a cada lance. Nas arquibancadas pessoas com camisas do Corinthians e da seleção argentina, em homenagem a Tevez.Se dentro do estádio era grande a animação, fora dele também. ?Vendi mais de mil reais em coisa que não gastaria 50?, disse o ambulante Ricardo Osário Soares, 37 anos. ?No final qualquer coisa que eu pedia, o povo pagava?, afirmou. Seu slogan durante as vendas, enquanto exibia pacotes de açúcar e arroz, era o seguinte: ?Vamos lá gente, 10 reais para ver o Tevez?.

Agencia Estado,

03 de dezembro de 2005 | 11h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.