Corinthians: treinos para ajustar marcação e a posição de Souza

Técnico reconhece problemas e dará ênfase a esses assuntos para a estreia no Campeonato Paulista, na quinta

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

18 de janeiro de 2009 | 10h25

O técnico Mano Menezes já tem definido as metas de trabalho para os quatro treinos que o Corinthians realizará até a estreia no Campeonato Paulista (quinta, às 19h30, contra o Barueri, no Pacaembu): acertar o posicionamento de Souza e da marcação nas bolas paradas. Estes foram os problemas que ele identificou após o amistoso contra o Estudiantes, no sábado (vitória por 5 a 1). Veja também: Podcast - Mano Menezes: 'Ganhamos três jogos, mas nenhum ponto' Presidente diz que Corinthians está perto de patrocínioEspecial: as armas dos times para o Paulistão 2009 Paulistão 2009 - TabelaConfira as novidades do mercado do futebol Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão"Nós cometemos um pouquinho de erros de cometer faltas para ele levantarem na área, no primeiro tempo. Eu não fiz trabalho de bola parada, praticamente, fiz um pouquinho, para definir, não deixar tão solto, esse é o tipo de trabalho que você tem de repetir", admite Mano. O zagueiro e capitão William reconhece a falha. "É, a marcação deixou a desejar. Precisamos arrumar isso."A justificativa do técnico: "Nós nunca tivemos dificuldade com bola contra [em jogos do ano passado], a não ser mérito do adversário. Zagueiro gosta de bola com força para tirar. Se você joga [a bola] sem peso, com outro jogador encostando no corpo do zagueiro, fica mais difícil para tirar. Existe tempo hábil para treinar, e provavelmente vamos dar mais ênfase nisso. Temos jogadores, pela estatura, para ajustar isso".Sobre o novo atacante, Mano Menezes identifica como problema a diferença de estilo em relação ao titular do ano passado, Herrera. "Temos que ajustar o posicionamento do Souza, que é um jogador mais de retenção, de fazer pivô, e estávamos acostumados com mais velocidade [características de Herrera]". GANHOSPor outro lado, o técnico corintiano aponta um benefício que o time conquistou com uma mudança de jogador. "O Túlio [volante] joga mais preso, e com isso você pode dar mais liberdade aos laterais, talvez até ao mesmo tempo". Ele só evita muitas comparações entre o time deste ano e o do ano passado. "Ainda é cedo [para comparar]. Você precisa ter mais amostragem, tem jogadores com características diferentes. Já temos mais armação, isso é possível ver". Sobre o time titular para a estreia, Mano Menezes admite que não deve ser diferente do que jogou neste sábado. "Temos ainda quatro turnos de trabalho, certamente não vamos ter uma equipe muito diferente dessa, mas vamos avaliar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.