Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Corinthians vai ao ataque em Assunção na estreia da Libertadores

Time aposta no retrospecto vitorioso do técnico Tiago Nunes em mata-mata para superar o Guaraní

João Prata, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2020 | 04h30

O técnico Tiago Nunes já venceu a Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana e a partir de hoje inicia sua caminhada, agora no comando do Corinthians, para completar a tríade de torneios mata-matas e alcançar o título da Libertadores em 2020. O time alvinegro estreia na competição às 21h30 (de Brasília), contra o Guaraní, em Assunção, no Paraguai, em jogo de ida da primeira fase de playoffs. É o primeiro de dois adversários a serem superados até a etapa de grupos. Se passar, vai para a chave que tem seu maior rival, o Palmeiras. 

O time paraguaio não traz boas recordações ao torcedor corintiano. Em 2015, a equipe paulista foi eliminada nas oitavas de final do torneio continental com duas derrotas (2 a 0 fora, e 1 a 0 em Itaquera). Daquele time comandado por Tite, ainda estão no grupo e entrarão em campo nesta noite o goleiro Cássio, o lateral-direito Fagner e o zagueiro Gil. Walter e Vagner Love também estavam no elenco, mas não atuaram nas partidas. 

As características do Corinthians eliminado em 2015 para o de agora são bem diferentes. Tite priorizava o poder defensivo de suas equipes. O Corinthians vinha nos últimos anos com essa característica, de saber sofrer pressão e matar o jogo quando surgisse uma oportunidade. Deu certo por um tempo. Não vinha dando mais com Carille, o último treinador antes de Tiago.

A equipe atual ainda está em fase de formação, disputou somente cinco jogos oficiais na temporada. Mas desde que foi anunciado, em janeiro, o comandante faz questão de dizer que está tentando implementar o estilo de jogo que deu certo nos tempos de Athletico-PR e rendeu as duas taças: um futebol que valoriza a posse de bola e busca sempre o ataque.

ALTOS E BAIXOS

No Paulistão, as novas características do Corinthians têm alternado altos e baixos. Funcionou no clássico com o Santos no último domingo, em Itaquera, mas não deu certo na derrota para a Ponte Preta no duelo anterior, quando a equipe tomou dois gols por tentar sair tocando de lado no campo de defesa. Ainda não treinou suficientemente para isso. 

“O planejamento passa por dois pontos específicos. Primeiro pela correção à nossa performance. A gente oscilou no primeiro tempo contra a Ponte Preta, mas em dois momentos sofremos gols. Por que falo da Ponte? Porque trouxe muito material do que a gente fez para o jogo com o Santos. Lógico que jogos grandes fortalecem o espírito do time, dão mais tranquilidade. Eu tenho muita confiança que estamos numa crescente e vamos continuar assim por muito tempo", disse o técnico.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
O que quero é chegar na fase em que os atletas fazem tudo de forma natural, sem ter de pensar
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Tiago Nunes, técnico do Corinthians

Tiago Nunes não definiu uma data para ter a equipe ideal. "Estamos distante ainda (do ideal). O que quero é chegar na fase em que os atletas fazem tudo de forma natural, sem ter de pensar. É como dirigir um carro, você não pensa quando troca de marcha. A equipe é a mesma coisa, quando você ainda pensa antes de fazer, é que ainda não automatizou, e só o número de jogos vai dar isso", afirmou.

Para dar esse padrão, Tiago Nunes tem optado por repetir as escalações. O Corinthians ainda não poupou atletas no Estadual, mesmo tento como prioridade a Libertadores. O time também atua com o mesmo modelo tático: uma linha de quatro defensiva, dois volantes que sabem sair para o jogo, três meias-atacantes e um centroavante.

No clássico com o Santos, domingo, Tiago disse que conversou com os profissionais do departamento médico e também com os jogadores antes de definir os titulares. "Todos falaram que estavam bem, então não tinha porque mudar já que queremos implementar uma ideia, um entrosamento, que só se ganha jogando", disse.

SALDO POSITIVO 

Apesar de ainda não ser um técnico experiente, Tiago carrega números positivos quando se analisa os jogos mata-mata. Pelo Athletico-PR, foram 16 duelos nesse formato, com 13 classificações. O time paranaense só foi eliminado diante do Rio Branco-PR (Campeonato Paranaense de 2018), River Plate (Recopa de 2019) e Boca Juniors (Libertadores de 2019).

FICHA TÉCNICA

GUARANI: Ignacio Don; Ramírez, Roberto Fernández, Báez e Miguel Benítez; Rodney Redes, Jorge Morel, Rodrigo Fernández e José Florentin; Claudio Aquino e Ortigoza. Técnico: Gustavo Costas.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Pedro Henrique e Sidcley; Camacho, Cantillo e Luan; Janderson, Boselli e Everaldo. Técnico: Tiago Nunes.

Juiz: Alexis Herrera (VEN).

Local: La Nueva Olla.

Horário: 21h30.

Na TV: Globo e SporTV.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.