Corinthians vai atrás de Luís Fabiano

O atacante Luís Fabiano, ex-São Paulo e hoje no Sevilla, da Espanha, é o jogador de seleção que o Corinthians quer trazer para o Brasil. Fontes ligadas à MSI revelaram que Kia Joorabchian está em Portugal negociando a compra do novo galáctico com um grupo de investidores ligados ao Porto, que possuem 65% dos direitos dele.O Sevilla não quer emprestá-lo. Só aceita vender os 35% restantes, avaliados em 3,5 milhões de euros (cerca R$ 9,75 milhões). O empresário de Luís Fabiano, José Fuentes, confirma que Kia está no caminho certo. ?Quem quiser contratar o jogador, terá de negociar com o Sevilla diretamente. Eu ainda não fui informado de nada?, revelou.Luís Fabiano está em férias no Brasil e se casa nesta quinta-feira em Campinas. Mas ele não foi encontrado para comentar a negociação. Para repatriar Luís Fabiano, Kia terá de resolver apenas a questão econômica, já que o atacante está insatisfeito com a reserva e quer voltar para o futebol brasileiro. O jogador acredita que, após a contusão de Ricardo Oliveira, ainda exista vaga no ataque da seleção brasileira para a Copa do Mundo.Na Copa América, em 2004, Luís Fabiano era o atacante com maior prestígio na seleção, depois de Ronaldo. Estava à frente até de Adriano, da Inter de Milão. Caiu de produção no Porto, clube que defendia anteriormente, e, após o seqüestro de sua mãe, ficou definitivamente abalado, foi transferido para a Espanha e continuou na reserva. Enquanto isso, a diretoria do Corinthians aguarda definições na defesa e no meio-de-campo. O clube espera que Ricardinho dê finalmente uma resposta e decida se volta ao Parque São Jorge ou aceita a proposta do futebol árabe, já que não se reapresentou ao Santos. Quanto ao zagueiro Rodrigo, que jogou no São Paulo e hoje está no Dínamo, da Ucrânia, a proposta corintiana já foi feita e também falta um retorno. Outro zagueiro que interessa, mas com poucas chances de ser contratado, é Fábio Luciano, do Fenerbahce, da Turquia. ?Tenho um carinho enorme pelo Corinthians, ficaria contente em voltar, mas acho difícil eles me liberarem?, disse o jogador, com contrato até julho de 2007.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2005 | 21h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.