Reprodução Twitter Barcelona
Reprodução Twitter Barcelona

Corinthians vai faturar R$ 4,5 milhões com ida de Malcom ao Barcelona

Atacante que estava no Bordeaux atuou no clube paulista dos 12 aos 19 anos

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2018 | 16h30

A transferência do atacante Malcom do Bordeaux para o Barcelona, confirmada nesta terça-feira, vai render quase R$ 4,5 milhões para o Corinthians. Embora não seja detentor dos direitos econômicos do jogador, o clube será beneficiado pelo mecanismo de solidariedade da Fifa como um dos clubes formadores de Malcom.

+ Barcelona atravessa contratação de Malcom

+ Leia mais notícias do Esporte

Como o atacante ficou no clube dos 12 aos 19 anos, o Corinthians receberá 2,5% do valor total da transferência. O jovem formado nas categorias de base conquistou o Campeonato Brasileiro de 2015 como titular do Corinthians, tendo feito 73 jogos e dez gols. No ano passado, o Corinthians vendeu 15% dos direitos de Malcom por R$ 16 milhões. Se tivesse esperado a negociação com o Barcelona, concretizada nesta terça-feira, o clube paulista teria ficado com R$ 26,8 milhões.

Um dia depois de a Roma anunciar um acordo para contratar o atacante brasileiro, faltando apenas os exames médicos para oficializar a chegada, o Barcelona “atravessou” a negociação e anunciou a contratação do ex-jogador do Corinthians.

Em seu site oficial, o clube espanhol divulgou que chegou a um acordo com o time francês e que o custo da transferência será de 41 milhões de euros (cerca de R$ 180 milhões), mais R$ 1 milhão de acordo com o desempenho do atleta.

Malcom deverá assinar um contrato de cinco temporadas, até 2023, com o clube catalão. O brasileiro chegou ainda nesta terça-feira a Barcelona, onde posou para a tradicional foto com o escudo localizado nos escritórios do clube no estádio Camp Nou. O atacante fará os exames médicos nesta quarta-feira e participará da excursão do Barcelona pelos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.