Corinthians vai ficar um mês sem Tevez

Não bastasse a carência de finalizadores no Corinthians, o clube ainda vai ficar mais de um mês sem seu principal atacante, Carlos Tevez. O argentino defenderá a seleção de seu país em dois jogos pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006, diante de Equador e Brasil, dias 4 e 8 de junho, e agora foi convocado para a Copa das Confederações, entre 15 e 29 do próximo mês. Despede-se temporariamente domingo, contra o Atlético-MG, no Mineirão, e retorna ao time somente dia 3 de julho, contra o Fortaleza, pela 10.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Tevez desfalcará a equipe por três rodadas do Nacional, contra Flamengo (12/6), Brasiliense (18/6) e Fluminense (26/6). Ponto positivo: o atacante poderá ficar mais próximo da família, da recém-nascida filha Florência e, talvez com isso, animar-se um pouco. Os companheiros corintianos têm dito que o argentino anda triste, cabisbaixo, com saudade de Buenos Aires. "Era um risco calculado perdê-lo por um tempo. Quando contratamos o jogador sabíamos dessa possibilidade", disse o diretor da MSI, Paulo Angioni. "Um atleta do nível do Tevez fatalmente seria convocado para a seleção argentina", resignou-se. Não seria este, portanto, o momento ideal para anunciar a contratação de um novo atacante? "Não costumo trabalhar assim, divulgando reforços para resolver dificuldades internas. Por enquanto, não há nada novo em relação ao Vágner Love e ao Liedson. E minha impressão é a de que, nesse fim de semana, nada vai ocorrer." Kia Joorabchian, chefão da MSI, e Alberto Dualib, presidente do Corinthians, continuam na Europa, onde foram buscar um centroavante - além de levar puxões de orelha do russo Boris Berezovski, que anunciou, terça-feira, que irá dar US$ 50 milhões para a construção de um estádio para o clube. Os dois participarão terça-feira do sorteio da Copa Sul-Americana, em Buenos Aires. Kia e Dualib tentam convencer o Sporting a liberar o atleta por ? 8,5 milhões, mas os dirigentes portugueses, donos dos direitos do atacante até junho de 2006, pedem mais. Em relação a Vágner Love, a situação é bem mais complicada, afinal inúmeras equipes brigam para tê-lo e o CSKA, da Rússia, exige US$ 30 milhões. JÔ - Em meio à escassez de camisas 9, Angioni praticamente descartou hoje a venda de Jô para o Anderlecht, da Bélgica. O clube ofereceu ? 2,5 milhões, o Corinthians achou pouco, mas o jogador, hoje, sorria de orelha a orelha. "Se Deus achar que chegou a hora de eu ir para a Europa, vou satisfeito", comentou. "Tenho esse sonho, vamos ver se vai dar certo." Jô tem 18 anos, contrato firmado até o fim de 2007 e pode ser titular domingo diante do Atlético-MG. "É um garoto promissor, com futuro e que nos interessa bastante", explicou Angioni. O técnico Márcio Bittencourt admitiu que haverá uma redução no elenco. Hoje, segundo o treinador, são 41 jogadores. Quer apenas 32. "Muita gente acaba dificultando os trabalhos", justificou. Jô, entretanto, não estará na lista de dispensas. "De jeito nenhum. Não abro mão dele", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.