Cleyton de Souza/Estadão
Cleyton de Souza/Estadão

Corinthians vai leiloar lugares no Itaquerão

Torcedores poderão dar lances pela internet para comprar cadeiras cativas e camarotes

Paulo Favero e Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - Parte dos assentos da Arena Corinthians vai a leilão: 13 mil dos 48 mil lugares (27% do estádio) serão vendidos num pregão eletrônico. Na prática, quem pagar mais garante um lugar no estádio que terá a abertura da Copa do Mundo. Essa modalidade vale tanto para empresas quanto para torcedores. O modelo de negócio do estádio, chamado de PSL (licença de uso) concebeu a venda de 11 mil cadeiras cativas. Elas serão comercializadas por um período de três, cinco, sete ou dez anos. Não haverá, por exemplo, cativas vitalícias, como existia no Maracanã.

Os outros dois mil lugares correspondem aos camarotes e cadeiras business. Os 88 camarotes previstos abrigarão 1.500 pessoas. Os camarotes menores terão capacidade para 12 pessoas, e os maiores, voltados para empresas, mais de 100.

A venda das cativas e dos camarotes será feita por uma empresa especializada em pregões eletrônicos feitos pela internet. Os interessados poderão se cadastrar e dar um lance.

O Corinthians ainda não definiu quando se iniciará a venda nem o preço mínimo estipulado para as cadeiras e os camarotes. Esses lugares serão vendidos em dois ou três pregões, até para o clube medir a demanda pelos espaços. A venda de camarotes e cativas, que ficam no prédio Oeste, é considerada como uma das principais fontes de receita do estádio. Até agora só um camarote foi vendido, como parte do acerto com um fornecedor. A empresa pagou R$ 700 mil por um espaço para 12 pessoas.

O ex-presidente Andrés Sanches, responsável pela obra, acredita que o preço possa chegar a R$ 1 milhão. Em recente entrevista ao Estado, ele garantiu que não vai estipular um teto. “Quem vai saber o limite?”, questionou. O estádio foi projetado para faturar pelo menos R$ 150 milhões por ano com a venda de camarotes, cativas, bilheteria e comércio das lojas de material esportivo e lanchonetes.

A arena já tem 90% da obras concluídas, e até agora não recebeu o empréstimo do BNDES de R$ 400 milhões. Por isso, o custo do estádio aumentou de R$ 820 milhões para pelo menos R$ 900 milhões por causa dos juros bancários. A obra está sendo tocada graças a empréstimos bancários feitos pela Odebrecht.

Neste sábado a arena receberá a primeira festa oficial. Andrés Sanchez levou para o estádio a celebração de aniversário do clube, comemorado dia 1º de setembro. O evento receberá conselheiros, diretores e convidados como presidentes de federações e políticos. Está previsto um show da cantora baiana Ivete Sangalo.

Um vídeo em homenagem aos 103 anos do clube será veiculado pela Osram no telão gigante construído na área externa do estádio. O clube espera pelo menos três mil pessoas. Os jogadores não poderão ir à festa porque já estarão em Campo Grande, onde o time enfrenta amanhã a Portuguesa.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansItaquerãoAndres Sanchez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.