Corinthians vai lutar por Marcelinho

O Corinthians não vai desistir do efeito suspensivo de Marcelinho Carioca, que desfalcou o time na derrota para o Coritiba no sábado, em Maceió, na abertura da Copa dos Campeões. De acordo com os advogados do clube, há uma tendência para que o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da CBF, Luiz Zveiter, atenda ao pedido do Corinthians no sentido de Marcelinho jogar protegido por um efeito suspensivo. "O fato de o presidente do STJD não ter despachado a tempo de o Marcelinho jogar a primeira partida não significa que ele não possa atuar no segundo. Às vezes, o STJD espera o atleta cumprir duas partidas e só depois disso concede o efeito suspensivo", disse João Zanforlin.Na expectativa de poder contar com Marcelinho Carioca no segundo jogo diante do Coritiba, quarta-feira, em João Pessoa, o técnico Wanderley Luxemburgo já fez uma avaliação do 3-5-2 e parece satisfeito com o desempenho geral do esquema. Mesmo reconhecendo que não gosta desse tipo de armação tática corintiana, admitiu que pode repetir o esquema na próxima partida. "O problema não foi o 3-5-2, o problema foi que o time entrou apático em campo. Mas no segundo tempo a equipe cresceu jogando no 3-5-2, e isso prova que não foi o esquema que atrapalhou o nosso desempenho".Entre os zagueiros a opinião é praticamente a mesma. Scheidt, o que teve o melhor desempenho dos três, reconheceu que o esquema pode funcionar. "Só no primeiro tempo estávamos um pouco perdidos. Mas no segundo, quando a marcação no meio-de-campo melhorou, o time cresceu". Vítima maior da nova esquematização, João Carlos não reclamou do 3-5-2."Eu jogo em qualquer esquema. Mas o 3-5-2 precisa de treino, precisa de trabalho", alertou o zagueiro. Em seguida, João lembrou que o Corinthians praticamente não treinou essa formação. Luxemburgo fez apenas dois treinamentos usando essa formação antes do jogo contra o Coritiba: um ainda em São Paulo, outro já em Maceió, na véspera da estréia na Copa dos Campeões.Apesar da discussão em torno do 3-5-2, o maior problema do Corinthians não é exatamente esse. O ataque é o que mais preocupa Wanderley Luxemburgo. Além da indefinição quanto ao aproveitamento de Marcelinho, no segundo jogo contra o Coritiba o time ainda vai perder o atacante Éwerthon, que já embarcou de volta para Teresópolis, onde está a Seleção Brasileira.Uma coisa, porém, Luxemburgo já decidiu: se puder contar com Marcelinho, o jogador deve ser escalado como atacante em João Pessoa. Além disso, o treinador vai cobrar um desempenho melhor dos alas, já que na partida de sábado Kléber e principalmente Rogério não tiveram um bom desempenho.A delegação deixou Maceió neste domingo pela manhã e já está em João Pessoa. O segundo jogo contra o Coritiba, quarta-feira, vai decidir o futuro do Corinthians na Copa dos Campeões. Só uma vitória por dois gols de diferença mantém a equipe paulista na competição. O empate classifica o Coritiba. Uma vitória do Corinthians só por um gol leva a decisão para os pênaltis.Os jogadores e o técnico Wanderley Luxemburgo continuam desmentindo as suspeitas de que houve uma festinha na concentração corintiana na véspera da decisão da Copa do Brasil, contra o Grêmio. Mas o chefão da Hicks Muse, Dick Law, vai querer saber exatamente o que de fato aconteceu na noite anterior à derrota para o time gaúcho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.