Corinthians vai tentar contratar Souza, ex-Flamengo

Na opinião da diretoria, ele seria o nome ideal para começar o ano de 2009 como centroavante titular

Vitor Marques, Agencia Estado

24 de dezembro de 2008 | 08h33

Não satisfeito com a chegada de Ronaldo e Jorge Henrique para o ataque, o Corinthians tentará nos próximos dias a contratação do atacante Souza, ex-Flamengo, atualmente no Panathinaikos, da Grécia. Na opinião da diretoria, ele seria o nome ideal para começar o ano como centroavante titular, enquanto Ronaldo recupera sua forma física.Veja também:Médico diz que Ronaldo só deve estrear em fevereiro Tabela e calendário do Paulistão 2009 Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "O Souza é um jogador que interessa ao Corinthians", afirmou nesta terça-feira o vice-presidente de futebol, Mário Gobbi. "Mas ele precisa resolver sua situação na Grécia, e depois veremos quanto podemos pagar". Apesar de ainda ter contrato vigente, Souza está praticamente fora do time grego. O Panathinaikos está oferecendo o atacante como moeda de troca de algumas negociações e a idéia é se desfazer de Souza para abrir uma vaga para jogador estrangeiro.Em quatro meses na Grécia, o brasileiro, que deixou o Flamengo no meio do Campeonato Brasileiro, atuou em apenas quatro partidas e marcou um gol. Seu empresário é Carlos Leite, o mesmo do técnico Mano Menezes e de outros atletas do Corinthians. Leite, entretanto, nega qualquer negociação com o jogador nesse momento: "O Souza é um jogador do Panathinaikos".Mário Gobbi disse ainda que o atacante Brandão, do Shakhtar Donetsk, é apenas uma opção para a posição e que não há nada fechado entre o jogador e o Corinthians. "Ele pode negociar com qualquer outro clube". Sobre Herrera, o dirigente afirmou que a chance de ele continuar no Corinthians depende de o Gimnasia aceitar novo empréstimo, algo bem improvável.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansFlamengoSouza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.