Arquivo/AE
Arquivo/AE

Corinthians vê derrota como alerta para final de domingo

Equipe perde por 3 a 2 para o Atlético-PR e não quer repetir o futebol ruim contra o Santos no Pacaembu

Agência Estado,

30 de abril de 2009 | 00h40

Os corintianos deixaram o campo, nesta quarta-feira, conscientes de que não podem repetir o futebol apresentado em Curitiba, diante do Atlético-PR, sob o risco de perderem o título paulista para o Santos, domingo, no Pacaembu. Apático, o Corinthians viu o time paranaense abrir vantagem de 3 a 0, justamente o resultado necessário para os santistas - reagiram no fim, marcaram dois gols e perderam só por 3 a 2.

Veja também:

linkCorinthians perde para o Atlético-PR na Copa do Brasil

tabela Copa do Brasil - Calendário / Resultados

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Entramos muito relaxados, quando acordamos já estava 3 a 0. Fizemos dois gols e agora uma vitória simples no Pacaembu e a gente sai classificado", afirmou o goleiro Felipe, depois da derrota corintiana na Copa do Brasil. "Este jogo serve de alerta para o duelo com o Santos. Tomamos três gols e poderíamos ter levado o quarto antes de marcarmos nossos dois."

"Sabíamos que o time ia sofrer pressão, mas temos de ficar cientes de que é preciso melhorar", endossou o zagueiro Chicão, que desperdiçou uma cobrança de pênalti no segundo tempo, quando o placar estava 3 a 0 para o Atlético-PR. "Mas o resultado poderia ser melhor se eu tivesse feito o gol do pênalti."

O técnico Mano Menezes buscou algo bom na primeira derrota corintiana do ano. "Um bom aviso que veio na hora certa", afirmou o treinador. Desde agosto o time titular do Corinthians não era batido: na oportunidade, levou 2 a 1 do Vila Nova, em Goiânia. "Sabíamos que a derrota viria um dia. Ao menos mostramos nossa força no fim, mostramos poder de reação porque temos qualidades. Contudo, o resultado é bom para o Atlético, que abriu uma vantagem."

Mano Menezes estava um pouco mais tranquilo no fim da partida. Mas saiu para o intervalo cuspindo fogo. "Entramos rebolando, com muita graça nos primeiros 45 minutos. Isso não pode acontecer", protestou o treinador, assumindo que o seu time estava pensando na decisão do Paulistão. "Por mais que a gente não queira, fica uma luz piscando dizendo que faremos uma decisão no domingo. Volto a repetir, recebemos aviso na hora certa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.