Corinthians vence a oitava seguida

O Corinthians continua em ascensão. A equipe do técnico Wanderley Luxemburgo alcançou a oitava vitória consecutiva ao derrotar o Goiânia por 3 a 1, nesta quinta-feira à noite, no Pacaembu, resultado que confirma a classificação da equipe paulista para as oitavas-de-final da Copa do Brasil. O adversário na próxima fase sairá do confronto entre Flamengo do Piauí e Sport do Pernambuco. Paulo Nunes finalmente fez seu primeiro gol com a camisa do Corinthians. "Estou emocionado", disse o atacante. "Foi um peso que tirei de mim."Mesmo abatidos emocionalmente pelo o que aconteceu com Luizão, que ficará cerca de nove meses fora do futebol por causa de uma contusão no joelho direito, o Corinthians manteve o favoritismo. A equipe de Goiás, que havia perdido a partida em casa por 1 a 0, precisava da vitória. O Goiânia até que tentou impor um ritmo de jogo ofensivo. Mas aos poucos o Corinthians foi tomando conta da partida.Aos 14 minutos, Éwerthon quase marcou. Mas aos 29, ele fez 1 a 0, em uma grande jogada: Marcelinho fez o passe para o atacante, que, de fora da área, chutou de pé direito, sem possibilidades de defesa apara o goleiro Samir.No segundo tempo, o Corinthians entrou em campo mais tranqüilo, com a certeza que dificilmente o adversário mudaria a situação da partida. Com toque de bola, e boa movimentação, o Corinthians continuou mandando no jogo. Aos 18 minutos, Marcelinho, em cobrança de falta, fez 2 a 0, acabando com qualquer possibilidade de reação do Goiânia. A partida ficou fácil para o Corinthians.Mas aos 35 minutos, Otacílio fez pênalti sobre Finazzi ao segurar o adversário na área, em uma disputa de bola pelo alto. Finazzi cobrou e diminuiu o resultado.O Goiânia, porém, não teve tempo para reagir. Um minuto depois, Paulo Nunes, que havia entrado no lugar de Gil fez 3 a 1, após receber o passe de Éwerthon. Paulo Nunes comemorou seu primeiro gol no Corinthians imitando um gavião, em homenagem à torcida corintiana. Ele quase marcou outro, de cabeça, aos 43, mas a bola bateu na trave.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.