Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Corinthians vence Bahia no sufoco e volta para o G-4 do Brasileirão

Time encontra dificuldades, mas reencontra o caminho da vitória e ganha uns dias de paz antes da decisão na Sul-Americana

João Prata, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2019 | 21h12

Teve gol chorado, dois pênaltis com participação do árbitro de vídeo (VAR) e sofrimento no reencontro do Corinthians com a vitória. Sem fazer uma grande partida, o time alvinegro bateu o Bahia por 2 a 1 na arena em Itaquera pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro e ganhará uns dias de paz antes do duelo decisivo pela Copa Sul-Americana.

Na última semana a Gaviões da Fiel protestou no CT Joaquim Grava e antes de a bola rolar, nas arquibancadas, houve pedido de raça após a sequência de três tropeços. Depois do apito final do árbitro, os torcedores gritaram "é quarta-feira", em referência ao confronto mais importante da temporada. Depois de perder a partida de ida por 2 a 0, o time visitará o Independiente Del Valle na altitude de Quito, no Equador, na tentativa de se classificar para a decisão da competição continental.

Vagner Love abriu o placar de pênalti com aval do VAR. O Bahia empatou também em uma penalidade com ajuda do árbitro de vídeo. Clayson garantiu a vitória graças a uma atrapalhada da zaga adversária. O resultado leva o Corinthians de volta ao G-4, na quarta colocação com os mesmos 35 pontos do São Paulo, mas melhor saldo de gols. O Bahia viu acabar a sequência de nove jogos de invencibilidade e ocupa o sétimo lugar, com 31 pontos.

Carille não arriscou muito na escalação contra o Bahia e promoveu as entradas de Carlos Augusto, Ramiro e Sornoza nas vagas de Danilo Avelar, poupado, Junior Urso, suspenso, e de Mateus Vital, que foi para o banco.

Em campo, foi mais do mesmo. O setor de criatividade continuou sendo o lado direito. No início, o time acertou duas vezes a trave do adversário. Pedrinho cruzou e Clayson na segunda trave perdeu gol feito ao tentar o contrapé do goleiro. Na outra, Pedrinho inverteu, Clayson ajeitou e Sornoza bateu rasteiro.

O Bahia, aos poucos, equilibrou a partida e o primeiro tempo esfriou. Na parte final, em dois lances polêmicos, a arbitragem definiu ambas a favor do Corinthians. Ralf derrubou Élber na área. O VAR foi consultado e mandou o jogo seguir. Na sequência, o volante corintiano arriscou chute e a bola bateu na mão de Juninho dentro da área. Após consultar o vídeo, o árbitro Dewson Freitas deu pênalti. Vagner Love bateu e abriu o marcador.  

Na etapa final, o Corinthians se mostrou satisfeito com o resultado e passou a esperar o adversário em seu campo de defesa à espera do contra-ataque. Até que apareceu mais um lance polêmico dentro da área. Dewson Freitas consultou mais uma vez o vídeo e assinalou penalidade em uma disputa de Clayson com Gregore. Gilberto mandou para as redes.

O Corinthians encontrava dificuldades para chegar à meta do adversário. Até que aos 29, Pedrinho deu ótimo lançamento, Clayson antecipou ao goleiro Douglas e contou com a confusão da zaga adversária para garantir a vitória. O Bahia não teve forças para reagir e o técnico Fábio Carille tratou de fazer duas mudanças para ganhar tempo e confirmar os três pontos.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 1 BAHIA

CORINTHIANS - Cássio, Fagner, Manoel, Gil e Carlos Augusto; Ralf, Ramiro (Jadson) e Sornoza; Pedrinho, Vagner Love (Gustagol) e Clayson (Janderson). Técnico: Fábio Carille.

BAHIA - Douglas, Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés, Gregore, Ronaldo (Fernandão) e Flávio (Guerra), Élber (Arthur Caíke), Artur e Gilberto. Técnico: Roger Machado.

GOLS - Vagner Love, aos 44 do 1º tempo, Gilberto, aos 18, e Clayson, aos 29, do 2º tempo.

ÁRBITRO - Dewson Freitas (Fifa/PA).

CARTÕES AMARELOS - Clayson e Vagner Love (Corinthians); Nino, Artur, Lucas Fonseca e Flavio (Bahia).

PÚBLICO - 29.569 pagantes.

RENDA - R$ 1.489,768,50.

LOCAL - Arena Corinthians, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.