Estadão
Estadão

Corinthians ganha no Itaquerão lotado e se mantém na ponta

Time consegue impedir que Atlético-MG se aproxime

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2015 | 13h13

No seu primeiro jogo às 11h no Campeonato Brasileiro, o Corinthians não decepcionou o torcedor que lotou o Itaquerão neste domingo. Em clima de festa, com direito a show de samba antes do jogo, e diante de 41.809 pagantes (recorde de público da equipe na arena), o time alvinegro bateu o Joinville por 3 a 0 com extrema facilidade e chegou aos 54 pontos.

Após dois empates seguidos, que permitiram ao Atlético-MG diminuir a diferença de sete para três pontos, agora o Corinthians ganha um pouco mais de fôlego na liderança do Nacional. A distância para o segundo colocado é de seis pontos - o Atlético-MG joga às 16h, contra o Cruzeiro.

O Corinthians foi melhor do início do fim da partida e, nem mesmo a lesão de Rildo, com apenas três minutos de jogo, atrapalhou a equipe. Após dividida com Anselmo, o atacante caiu de mau jeito e machucou o ombro esquerdo. O jogador sofreu uma luxação clavicular e há risco de precisar ser submetido a uma cirurgia.

Malcom saiu do banco com a missão de exercer a mesma função de Rildo: puxar o contra-ataque em velocidade pela esquerda. E foi justamente em uma jogada iniciada pelo atacante que o Corinthians teve a primeira chance de marcar.

Aos 11 minutos, Malcom tocou para Elias, que achou Vagner Love, sem marcação, dentro da área. O atacante chutou fraco da primeira vez e o goleiro fez a defesa parcial. No rebote, já com o goleiro caído, Love errou mais uma vez e chutou por cima gol.

Acuado no campo de defesa, o Joinville oferecia pouca resistência. À exceção de um chute de longe de Edson Ratinho bem defendido por Cássio, a equipe catarinense praticamente não incomodava o Corinthians.

O problema do Corinthians estava nas finalizações. Vagner Love não conseguia concluir as jogadas criadas pelos companheiros. Aos 25 minutos, perdeu outra chance inacreditável. De frente para o gol, Love demorou para chutar e acabou desarmado.

Coube, então, a Malcom tirar o Corinthians do sufoco. Ao contrário de Love, o atacante não desperdiçou oportunidade que teve de marcar. Aos 38, Uendel deu belo passe de calcanhar para Malcom, que dominou com a perna esquerda e mandou no canto, sem chances para o goleiro.

No segundo tempo, o Joinville voltou melhor e a postura mais agressiva do time catarinense acabou surpreendendo o Corinthians. Se não fosse o zagueiro Felipe para salvar uma bola quase em cima da linha após Cássio ser encoberto por Edigar Junio, o Joinville teria empatado aos 7 minutos.

Com a marcação mais adiantada, a equipe catarinense passou a correr mais riscos e deu espaços para o contra-ataque do Corinthians. O erro foi fatal. Aos 12 minutos, Malcom disparou pela esquerda, invadiu a área e tocou para trás. Jadson chutou em cima da defesa e, na sobra, Uendel fez o segundo gol.

Com a vitória praticamente garantida já no início do segundo tempo, o Corinthians diminuiu o ritmo. Sem pressa, a equipe trocava passes pacientemente em busca de alguma brecha na defesa do Joinville. A chance veio no fim do jogo. Aos 43. Vagner Love recebeu de Renato Augusto, ganhou na velocidade dos zagueiros e tocou na saída do goleiro para se redimir as oportunidades desperdiçadas no primeiro tempo.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 3 X 0 JOINVILLE

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Elias (Cristian), Renato Augusto, Jadson (Danilo); Rildo (Malcom) e Vagner Love. Técnico - Tite.

JOINVILLE - Agenor; Mário Sérgio, Bruno Aguiar, Guti e Diego (Alef); Anselmo (Danrlei), Naldo (Domingues); William Popp, Edson Ratinho e Edigar Junio; Fernando Viana. Técnico - PC Gusmão

GOLS - Malcom, aos 38 minutos do primeiro tempo; Uendel, aos 12, e Vagner Love, aos 43 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (GO).

CARTÃO AMARELO - Anselmo (Joinville).

RENDA - R$ 2.679.187,00.

PÚBLICO - 41.809 pagantes.

LOCAL - Itaquerão, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.