Corinthians vence no Rio e alcança o líder Fluminense

O Corinthians demorou quatro meses para voltar a vencer fora de casa no Campeonato Brasileiro - amargou uma sequência de cinco empates e três derrotas. Mas a quebra do jejum veio no jogo mais importante até agora: o confronto direto com o Fluminense pela liderança. O time paulista derrotou o carioca por 2 a 1 na noite desta quarta-feira, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

BRUNO CHAZAN, Agência Estado

16 de setembro de 2010 | 00h06

O resultado não foi suficiente para mudar o líder do campeonato: os dois times somam 41 pontos, mas o Fluminense tem um gol a mais de saldo (16 a 15). Só que o Corinthians disputou um jogo a menos e, por isso, é o primeiro colocado pelo aproveitamento.

Como já virou costume no campeonato, o Fluminense começou agressivo, tentando abrir vantagem logo de cara. E teve a grande chance para isso no pé direito de Deco, aos 8 minutos. O meia revelado no Parque São Jorge arrancou pelo meio, invadiu a área e na saída de Júlio César bateu por cima do gol.

Com seis homens no meio-de-campo, o time carioca dificultava a saída de bola do Corinthians, que demorou cerca de 20 minutos para se achar. Com experiência de seus jogadores, o time de Adílson Batista se agrupou e passou a jogar com toques curtos e movimentação. Aos 25, o volante Paulinho, escalado no lugar do contundido Ralf, se infiltrou pela direita, recebeu de Jorge Henrique na área e bateu com perigo, para fora.

O Corinthians dominou o restante da primeira etapa e aproveitou a primeira falha do sistema defensivo do Fluminense. Ao invés de levantar a bola na área em cobrança de falta, Bruno César tocou no meio para Elias, que viu a zaga rival saindo. O camisa 7 levantou para Jucilei, em condição legal, matar no peito e bater de primeira no canto direito de Fernando Henrique: 1 a 0.

No intervalo, Muricy Ramalho abdicou do esquema com três zagueiros e trocou André Luís pelo atacante Rodriguinho, que teve a chance de ouro de empatar aos 5 minutos da etapa final. Ele recebeu belo passe de Deco e, cara a cara com Júlio César, bateu em cima do goleiro corintiano.

Aos 10 minutos, o único erro de Carlos Eugênio Simon no jogo. Jucilei roubou a bola de Leandro Euzébio na entrada da área do Fluminense e partia em direção ao gol quando foi derrubado pelo zagueiro. O árbitro interpretou a queda como simulação e não apitou a falta.

O vacilo da arbitragem acabou não fazendo falta. Porque a defesa do Fluminense só assistiu à tabela de Alessandro com Elias aos 20 minutos. O lateral-direito invadiu a área e só rolou para Iarley, apagado até então, empurrar para o gol, de carrinho, dividindo com Gum.

O Fluminense não teve outra alternativa a não ser partir para o ataque. E conseguiu diminuir o prejuízo rapidamente, cinco minutos depois do segundo gol corintiano. Rodriguinho recebeu na área e cruzou para Washington marcar seu décimo gol no Brasileiro e assumir a artilharia isolada.

Rodriguinho, que mudou a cara do ataque tricolor, quase empatou o jogo com um chute de fora da área defendido com muito esforço por Júlio César. Adílson Batista recuou todo o Corinthians, trocando Iarley por Danilo e Bruno César por Boquita. O Fluminense tentou o segundo gol com bolas levantadas na área, mas o time paulista se segurou bem e garantiu o triunfo.

FICHA TÉCNICA:

Fluminense 1 x 2 Corinthians

Fluminense - Fernando Henrique; André Luiz (Rodriguinho), Gum e Leandro Euzébio; Mariano, Valência (Marquinho), Fernando Bob, Conca, Deco e Julio César (Carlinhos); Washington. Técnico - Muricy Ramalho.

Corinthians - Júlio César; Alessandro, Paulo André, William e Roberto Carlos (Leandro Castán); Jucilei, Elias, Danilo e Bruno César (Boquita); Jorge Henrique e Iarley (Danilo). Técnico - Adílson Batista.

Gols - Jucilei, aos 44 minutos do primeiro tempo; Iarley, aos 20, e Washington, aos 25 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS).

Cartões amarelos - Jucilei, William, Valencia, Paulo André.

Público - 23.196 torcedores presentes.

Local - Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.