Corinthians vira e vence Barbarense

O Corinthians ainda está na briga pelo vice-campeonato paulista. A vitória sobre o Barbarense, por 3 a 1, neste sábado, em Santa Bárbara D?Oeste, mantém a equipe de Daniel Passarella a dois pontos do Santos (31 a 29), que também venceu na rodada - o líder disparado é o São Paulo, com 41.A nova formação tática testada neste sábado, com três zagueiros, dois alas, dois meias e só um volante de contenção, superou as expectativas. Apesar do começo até certo ponto inseguro, o time do Corinthians mostrou equilíbrio. Teve uma saída de bola rápida, trabalhou bem a bola e variou bem as jogadas, tendo à frente Tevez e Gil.Mas o começo de jogo não foi nem um pouco fácil. Preocupado com o fantasma do rebaixamento, o Barbarense mostrou suas garras. Em apenas três minutos de partida, Joel e Alexandre Torta já tinham sido advertidos com o cartão amarelo, por jogo violento. E o zagueiro Carlinhos só não levou o dele, após uma entrada dura em Rosinei, porque o árbitro Cleber Wellington Abade contemporizou.O jogo até se desenhava fácil para o Corinthians quando Betão, infantilmente, segurou Gílson Batata pela camisa na área: pênalti. O próprio Gílson Batata bateu, fazendo 1 a 0, aos 13 minutos.Mesmo com a desvantagem, o Corinthians não se perturbou. Ao contrário: soube trabalhar bem a bola e mostrou que poderia empatar e virar o jogo. Pela ótima postura em campo, a reação era só uma questão de tempo e paciência.É verdade também que o Barbarense teve a chance de ampliar, com o próprio Gílson Batata, numa bela jogada pela direita. Mas, apesar da boa conclusão do atacante, de cabeça, Fábio Costa defendeu.Fora isso, só deu Corinthians. O time criou várias chances. Poderia ter marcado numa bomba de Edson, aos 17 minutos, ou num chute forte de Tevez, aos 26, que o goleiro Neneca defendeu no reflexo. Mas o empate acabou saindo aos 29 minutos, numa jogada organizada pelos argentinos. Sebá avançou e tocou para Tevez. Mesmo marcado e agarrado por Carlinhos, o atacante fez o pivô e tocou para Gil, que bateu de bico, fez o seu terceiro gol no Campeonato Paulista e deixou tudo igual em Santa Bárbara D?Oeste."Não tinha outra maneira. Ainda tentei cortar para a direita, mas não deu. Aí tive de bater de bico, com o pé esquerdo", explicou Gil, ainda no intervalo.No segundo tempo, o Corinthians voltou ainda melhor. E quem mais se destacou no time foi o meia Hugo. Jogando bem mais à frente em relação ao primeiro tempo, ele fez a diferença. Aos 9 minutos, deixou Tevez na cara do gol. E o argentino só não fez o segundo gol corintiano porque deu azar na conclusão - a bola passou raspando a trave direita de Neneca.Na jogada seguinte, aos 11, de novo Hugo tocou com inteligência para o argentino. Da esquerda, Tevez jogou a bola na pequena área, rasteiro. Gil perdeu o tempo da jogada mas Rosinei conseguiu tocar - meio desengonçado - para fazer o segundo gol corintiano. A bola entrou chorando e por muito pouco dois zagueiros do Barbarense não evitam o gol, em cima da linha.Desesperado, o Barbarense não sabia se atacava ou se defendia. Para piorar a situação, Leonel foi expulso. Com um jogador a menos, a preocupação de Samarone, técnico estreante, passou a ser apenas evitar a goleada. Ele bem que tentou fechar sua equipe mas não evitou o terceiro gol. Numa jogada rápida do ataque corintiano, Tevez tocou para Rosinei marcar mais um, sacramentando a vitória.Com o resultado, o time de Daniel Passarella chega ao quinto jogo sem derrota. Além de Hugo, Rosinei foi um dos destaques, jogando como ala: apoiou bem e marcou dois gols. "Fico duplamente feliz. Pela vitória e pelos gols. Além disso, também fico satisfeito pelo bom desempenho jogando numa outra posição."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.