Corinthians vive dilema interno para arrumar o ataque

Técnico aponta problema na finalização, mas Finazzi diz que o erro é que a bola não chega certa

Vítor Marques, Jornal da Tarde

05 de outubro de 2007 | 19h21

Para o Corinthians voltar a vencer no Brasileiro e sair da zona de rebaixamento, Nelsinho Baptista terá de corrigir um problema crônico no time: a carência de gols. Na zona de rebaixamento, em 18.º, o Corinthians apenas balançou mais as redes (31 vezes) que o lanterna América-RN. "Estamos falhando na hora da finalização, no acerto dos cruzamentos, na agressão ao adversário", reconhece o treinador corintiano. Mas ele, que assumiu o time há duas rodadas, já vê evolução na equipe. "Nos jogos que dirigi, tivemos números importantes de bola chegando na área. Mas às vezes temos que nos antecipar nas jogadas para fazermos gols."Já os jogadores de frente têm reclamado da ligação meio-de-campo/ataque. "Esse é um problema da nossa equipe", analisa o atacante Finazzi, artilheiro do time com sete gols. "A bola precisa chegar para termos mais oportunidades."Finazzi, porém, acredita que seu desempenho tem sido bom. "Contra o Fluminense, tive apenas uma oportunidade e quase marquei, além de acertar a maioria dos passes." O centroavante marcou pela última vez na vitória contra o América-RN, no Pacaembu, há um mês - esse jogo também foi a último triunfo do time no campeonato.Com Aílton suspenso - ele chegou a ser improvisado no ataque no último jogo - , Nelsinho Baptista definirá neste sábado a dupla de atacantes que enfrentará o São Paulo. Pela manhã, ele comandará um treinamento secreto no Parque São Jorge. "Quero privacidade para fazer algumas mudanças", afirmou ele, que confirmou Vampeta e Gustavo Nery pelo menos no banco de reservas.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.